Gerdau lança empresa voltada para mercado de grafeno, com operação independente

A nova companhia faz parte do portfólio de empresas da Gerdau Next, divisão de novos negócios da Gerdau lançada no segundo semestre de 2020

Usina de Charqueadas, no Rio Grande do Sul, da Gerdau: empresa teve lucro acima do esperado pelo mercado em 2020
Usina de Charqueadas, no Rio Grande do Sul, da Gerdau: empresa teve lucro acima do esperado pelo mercado em 2020 Foto: Gerdau/Divulgação

Beth Moreira, da Agência Estado

Ouvir notícia

A Gerdau anunciou nesta quinta-feira (15), o lançamento de uma nova empresa focada no desenvolvimento e comercialização de produtos com a aplicação de grafeno. O nome da companhia será Gerdau Graphene e ela terá operação independente das divisões de negócio de aço.

Nessa primeira etapa, a Gerdau Graphene focará nos mercados da construção civil, lubrificantes industriais e automotivos, borracha, termoplásticos, tintas, baterias e sensores nas Américas.

A nova companhia faz parte do portfólio de empresas da Gerdau Next, divisão de novos negócios da Gerdau lançada no segundo semestre de 2020, que tem o objetivo de empreender em novos segmentos, além do aço, com participação relevante nas receitas da Gerdau.

Em nota, a empresa explica que a nova empresa tem o objetivo de ser referência na comercialização de produtos com aplicação de grafeno em escala no Brasil e com foco em atingir mercados globais.

“O material apresenta benefícios de propriedades mecânicas, como a redução de peso e de atrito, maior eficiência em lubrificação, maior condutividade térmica e elétrica, entre outras”, destaca. A nova unidade de negócios nasce como uma desenvolvedora de grafeno.

Com seu escritório principal em São Paulo e uma filial nos Estados Unidos, a empresa prevê oferecer mais tecnologia para os setores da construção civil, lubrificantes industriais e automotivos, borracha, termoplásticos, tintas e sensores, no Brasil e em países da América do Norte.

“A Gerdau Graphene entra no mercado de forma singular por sua aposta em tornar a produção do material viável comercialmente e em larga escala. Estamos chegando ao mercado com o diferencial de sermos parte de um grupo sólido e de forte credibilidade internacional, mas com a filosofia embarcada de Open Innovation, em colaboração com múltiplos ecossistemas”, destaca na nota o diretor Geral da Gerdau Graphene, Alexandre de Toledo Corrêa.

Segundo o executivo, a proposta de valor da companhia é de fornecer ao mercado aditivos, boosters e soluções com o grafeno que sejam plug-and-play para os processos industriais de seus clientes.

“Ou seja, iremos comercializar tanto o produto quanto o serviço e know-how em grafeno e, para isso, contamos com alianças estratégicas com parceiros globais e nacionais”, explica. Segundo o executivo, a nova companhia terá como primeiro cliente a própria Gerdau e suas usinas de aço, que permitem a criação e testes de novos produtos e soluções com velocidade e intimidade de aplicação.

“O lançamento da Gerdau Graphene é mais um passo estratégico da Gerdau Next, diversificando os negócios do Grupo em complementaridade a cadeia do aço e dos nossos clientes. Já trabalhávamos com o grafeno em Manchester, na Inglaterra, desde o ano 2019.

O grafeno é o material mais forte já encontrado, um dos melhores condutores que existem, com inúmeras aplicações potenciais. Com parcerias estratégicas já estabelecidas neste novo negócio, estamos confiantes de que a Gerdau Graphene será um player relevante nas Américas”, diz também em nota o vice-presidente da Gerdau, Juliano Prado.

Inovação

A Gerdau pesquisa grafeno há quatro anos. Em 2019 firmou parceria com o Centro de Inovação de Engenharia de Grafeno (GEIC, na sigla em inglês) da Universidade de Manchester, no Reino Unido, para desenvolver pesquisas envolvendo o produto.

No mercado brasileiro, a nova empresa já tem parcerias estratégicas no setor automotivo com Baterias Moura e SKF do Brasil para desenvolver aplicações em armazenagem de energia, artefatos de borracha, compósitos e tintas. Segundo a Gerdau, o grafeno é um nanomaterial composto apenas por carbono.

Por apresentar características únicas, tornou-se o maior condutor elétrico, um dos melhores condutores térmicos e um dos materiais mais resistentes e duros da atualidade. Suas propriedades óticas permitem a passagem de quase 98% da luz incidente, além de ser extremamente flexível e impermeável.

O diretor Geral da Gerdau Graphene, Alexandre de Toledo Corrêa, explica que as aplicações de grafeno vão além de revestimentos anticorrosivos e compósitos poliméricos para os mercados automotivo e de construção civil, química, plástico e borracha.

“A Gerdau Graphene inicia sua operação como um hub consolidador de toda a cadeia e pesquisa existente no Brasil e no mundo para acelerar e facilitar a sua aplicação nos processos e produtos de nossos clientes”, complementa o executivo.

Tópicos

Mais Recentes da CNN