GM investe na fabricante de software de radar para carros autônomos Oculii

Tecnologia pode melhorar resolução de radares e aumentar número de veículos automatizados

Detalhes financeiros do investimento não foram divulgados
Detalhes financeiros do investimento não foram divulgados REUTERS/Rebecca Cook

Hyunjoo Jinda Reuters

Ouvir notícia

O braço de venture capital da General Motors investiu milhões de dólares na Oculii, uma startup norte-americana fabricante de software para sensores de radar usados ​​em carros autônomos, disse o cofundador da Oculii, Steven Hong.

A GM pode usar o software de baixo custo da Oculii para melhorar a resolução de radares e aumentar seus veículos parcialmente automatizados e carros totalmente autônomos, disse à Reuters.

O investimento é um “sinal fantástico de que eles estão falando sério sobre a tecnologia e otimistas sobre o radar em geral”, disse Lang Hong, professor de engenharia da Wright State University que fundou a Oculii com seu pai.

Ele se recusou a revelar os detalhes financeiros.

Os radares, que medem a distância entre objetos, permitem que um carro acelere ou freie de modo a coincidir sua velocidade com a do veículo à frente. Eles também funcionam bem em condições adversas de iluminação e clima.

O presidente-executivo da Tesla, Elon Musk, chamou os sensores adicionais de “muletas”, fortalecendo o investimento em câmeras mais baratas e inteligência artificial para seu sistema de automação de direção.

Hong disse concordar com os comentários do diretor de inteligência artificial da Tesla, Andrej Karpathy, sobre as deficiências dos radares tradicionais. Karpathy disse em junho que os radares às vezes fazem medições “idiotas” do ambiente, impedindo seu sistema de visão.

“O radar tradicional tem uma resolução muito baixa e muito ruído”, disse Hong. Mas os radares de alta resolução são um suporte fundamental para câmeras e outros sensores quando eles falham, proporcionando assim “segurança extra”, acrescentou.

Ele disse esperar que a Tesla adote os radares à medida que os preços diminuam.

Mais Recentes da CNN