Goldman Sachs vê queda de 25% em dividendos de empresas do S&P 500 em 2020

Setores pagadores de dividendos são particularmente vulneráveis ao impacto econômico causado pela pandemia de coronavírus, aponta banco

Muitas empresas provavelmente não tomarão empréstimos para financiar seus dividendos, diz Goldman Sachs
Muitas empresas provavelmente não tomarão empréstimos para financiar seus dividendos, diz Goldman Sachs Foto: David Gray/Reuters

Reuters

Ouvir notícia

O Goldman Sachs disse nesta segunda-feira (30) que espera que os dividendos das empresas do S&P 500 caiam 25% em 2020, conforme certos setores pagadores de dividendos são particularmente vulneráveis ao impacto econômico causado pela pandemia de coronavírus.

O S&P 500 é o principal índice de ações da Bolsa de Nova York, um termômetro para o mercado norte-americano. Já o dividendo é uma fatia do lucro que as empresas de capital aberto repartem periodicamente com seus acionistas

Leia mais: Mesmo em queda, ações podem pagar dividendos. Saiba em que setores apostar

“A máxima recorde de alavancagem líquida da ação do S&P 500 na mediana, juntamente com o estresse contínuo do mercado de crédito, significa que muitas empresas provavelmente não tomarão empréstimos para financiar seus dividendos”, disse o Goldman em nota.

O banco de investimento dos EUA disse que espera que uma série de dividendos seja suspensa, cortada e descartada ao longo do ano.

Mais Recentes da CNN