Governo busca Lira e Pacheco para solução sobre Auxílio Brasil

Os ministros da Casa Civil e da Cidadania tiveram reuniões nesta quinta-feira (21) com a cúpula do Congresso na tentativa de conseguir apoio para a mudança da base de cálculo do teto de gastos

Gustavo Uribe

Ouvir notícia

O governo federal fez uma ofensiva, nesta quinta-feira (21), ao comando do Congresso Nacional na tentativa de viabilizar o Auxílio Brasil, programa social que substituirá o Bolsa Família.

Os ministros da Casa Civil, Ciro Nogueira, e da Cidadania, João Roma, se reuniram, na manhã desta quinta-feira, com os presidentes do Senado Federal, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), e da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL).

O relator da PEC dos Precatórios, Hugo Motta (Republicanos-PB), também participou dos encontros. O objetivo foi buscar apoio à inclusão, na proposta de parcelamento das dívidas judiciais, de modificação na regra do teto de gastos.

A ideia, que tem apoio no Ministério da Economia, é que o relator inclua na PEC dos Precatórios mudança no cálculo do teto de gastos, levando em consideração agora a inflação acumulada de janeiro a dezembro. Atualmente, o valor equivale ao total das despesas do ano anterior corrigido pela inflação acumulada até junho.

A expectativa no Palácio do Planalto é de que a mudança da base de cálculo possa aumentar a capacidade de despesas para o ano que vem em cerca de R$ 45 bilhões, viabilizando o Auxílio Brasil.

A ideia é que a mudança seja incluída já nesta quinta-feira (21) no relatório da PEC dos Precatórios, que deve ser votado na comissão especial da Câmara dos Deputados.

Mais Recentes da CNN