Governo avalia com Pacheco PEC que destrava novo Bolsa Família de R$ 400

O valor das parcelas fica perto de R$ 400, praticamente o dobro do ticket médio atual. As informações foram apuradas pela CNN Brasil.

do CNN Brasil Business, em São Paulo*

Ouvir notícia

 

O ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, dividiu na tarde desta segunda-feira (2) com presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, um Projeto de Emenda Constitucional (PEC) que abre espaço para o pagamento de um novo Bolsa Família. A ministra Flávia Arruda, da Secretaria de governo, também esteve no encontro. 

O valor das parcelas do novo programa social deve ficar perto de R$ 400, praticamente o dobro do ticket médio atual. As informações foram apuradas pela apresentadora da CNN Brasil Daniela Lima.

 

Segundo fontes ouvidas pela reportagem, a equipe econômica vai tentar abrir espaço no orçamento para o programa social com uma quantia bilionária que o governo federal foi obrigado a pagar pela justiça por meio de precatórios.

‘Não haverá calote’

O ministro da economia, Paulo Guedes, garante que a Proposta de Emenda à Constituição que pretende mudar a regra de pagamento dos precatórios não significa um “calote”. A declaração foi feita à CNN minutos antes do chefe da pasta econômica se reunir com os presidentes da Câmara, Artur Lira, e Pacheco.

Pela nova regra proposta, todos os precatórios abaixo de R$ 66 mil serão pagos. As dívidas incluídas neste valor, segundo levantamento da equipe econômica, representam cerca de 90% da demanda.

“Meteoro de gastos”

Na sexta-feira, Guedes chegou a dizer que o valor em aberto do pagamento dos precatórios já chega a R$ 90 bilhões, um “meteoro de gastos”, segundo ele, que tera de ser incluído no orçamento.

O valor foi comunicado pela Justiça ao governo nos últimos dias e embaralhou os cálculos que a equipe econômica vinha fazendo para fechar a proposta de orçamento de 2022.

Precatórios são dívidas do governo reconhecidas pela Justiça e que, portanto, têm de ser pagas pela União. Neste ano, o governo separou R$ 54 bilhões para essa despesa, segundo fontes da cúpula do Ministério da Economia.

Vista do prédio do Congresso Nacional em Brasília 25/05/2017
Vista do prédio do Congresso Nacional em Brasília 25/05/2017
Foto: REUTERS/Paulo Whitaker

 

 

 

Mais Recentes da CNN