Governo federal economiza R$ 1 bilhão com trabalho remoto durante a pandemia

Valor considera a redução de R$ 859 milhões nos gastos de custeio e a diminuição de R$ 161 milhões nos pagamentos de auxílios para os servidores

Basília Rodriguesda CNN

Ouvir notícia

Com servidores trabalhando de casa, o governo federal já economizou cerca de R$ 1 bilhão durante a pandemia do novo coronavírus, entre abril e agosto.

O Ministério da Economia informou à CNN que este valor considera a redução de R$ 859 milhões nos gastos de custeio e a diminuição de R$ 161 milhões nos pagamentos de auxílios para os servidores, em comparação com 2019.

Cargos de professores, administrativos, assistência jurídica, informática, comunicação social são exemplos de atividades que estão sendo mantidas a distância. Após a pandemia, se houver interesse por parte do servidor e do órgão, poderá continuar assim.

Num detalhamento das despesas de custeio, o governo federal conseguiu economizar R$ 471 milhões somente com diárias, passagens e despesas com locomoção.

Já o custo a conta de luz ficou R$ 255 milhões menor, e o serviço de água e esgoto caiu R$ 32 milhões. Algo bem típico do serviço de escritório, as cópias e reproduções de documentos que deixaram de ser feitas neste período geraram uma economia de R$ 9 milhões.

Leia também:

Bradesco diz sim ao home office e dará ajuda de custo de R$ 1 mil a colaborador

Prefeitura de SP implementa regime de home office para seus funcionários

Odeia fazer home office? Veja dicas de como tornar o trabalho em casa melhor

“O trabalho remoto veio para ficar. A pandemia mostrou que temos ferramentas tecnológicas que permitem que uma parte do serviço público possa ser feita de qualquer lugar. A gente acredita que mesmo voltando a normalidade, uma parte vai poder continuar sendo feita a distância, sem prejudicar o serviço para o cidadão”, afirmou à coluna o Secretário de Gestão do Ministério da Economia, Cristiano Heckert. 

O governo não trabalha com a hipótese de pagar um auxílio pelo trabalho remoto, apesar da mudança na rotina — motivo de reclamação entre servidores por causa do aumento de custos pessoais.

“O servidor economiza com deslocamento, com roupa, ganha a conveniência de estar próximo da família. É um balanço que cada pessoa faz de acordo com a realidade pessoal”, argumenta o secretário.

Foram colocados computadores, cadeiras e mesas à disposição dos servidores para uso em casa, mediante assinatura de termo de responsabilidade. 

Haverá ainda uma ferramenta para medir o desempenho de quem está em teletrabalho.

Mais Recentes da CNN