Governo notifica bancos por tarifas mais caras

De junho de 2019 a junho deste ano, os clientes pagaram cerca de R$ 1.045 a mais só com taxas

Basília Rodriguesda CNN

Ouvir notícia

A Secretaria Nacional de Defesa do Consumidor notificou os bancos para saber por que as tarifas bancárias subiram, em média, um salário mínimo em um ano. A medida foi adotada após levantamento do Instituto de Defesa do Consumidor mostrar que ficou mais caro fazer operações bancárias. De junho de 2019 a junho deste ano, os clientes pagaram cerca de R$ 1.045 a mais só com taxas.

A secretaria, que é vinculada ao Ministério da Justiça, pediu para que os bancos comprovem se avisaram com antecedência os clientes de que as tarifas iriam subir. Além de divulgarem informações que relacionem a prestação de serviços com os respectivos custos que passaram a ser cobrados.

Leia também:

Senado aprova limite de juros do cartão de crédito e cheque especial

Juro real negativo: por que no Brasil é diferente de outros países

“Considerando que a renda de muitos indivíduos pode ter sido comprometida pelo cenário atual de pandemia, o objetivo do Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor com as notificações é garantir que os consumidores tenham à disposição, de modo claro e adequado, informações suficientes na hora de escolher qual instituição contratar e se irão permanecer na instituição já contratada; bem como que não sejam pegos de surpresa com o aumento inesperado de tarifas bancárias”, afirma Juliana Domingues, secretaria Nacional do Consumidor.

A pesquisa avaliou os valores cobrados pelos seis maiores bancos do país: Banco do Brasil, Bradesco, Caixa, Itaú, Santander e Safra. 

Procurada, a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) informou que os bancos seguem a regulamentação do Banco Central e auxilia os consumidores a comparar as tarifas entre os bancos, por meio de uma ferramenta em seu site.

 

Tópicos

Mais Recentes da CNN