Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Grupo de educação médica Afya faz acordo de R$ 700 mi para compra da Unigranrio

    O valor será pago 60% em dinheiro e o restante em quatro parcelas iguais anuais

    Estudante
    Estudante Foto: FatCamera / Getty Images

    do CNN Brasil Business, em São Paulo*

    Ouvir notícia

     

    O grupo de educação médica Afya anunciou nesta quinta-feira (27) acordo para comprar 100% da Universidade do Grande Rio (Unigranrio), que fica no estado do Rio de Janeiro, em uma operação avaliada em R$ 700 milhões.

    Com forte atuação na área de saúde, a Unigranrio tem cerca de 20 mil alunos. O valor será pago 60% em dinheiro e o restante em quatro parcelas iguais anuais.

     

    A Afya Educacional, que nasceu da fusão a NRE Participações S.A. com a Medcel e se descreve como maior grupo de educação médica do país, disse em comunicado que a aquisição vai adicionar 308 vagas de medicina em seu portfólio, aumentando o total de vagas em escolas de medicina da Afya para 2.611.

    Disse ainda que espera um EV / Ebitda de 4,1 vezes após a compra. O indicador relaciona o valor da companhia com seu Ebitda (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização, que indica a eficiência operacional do negócio). Em suma, essa conta indica quanto tempo pode levar para o lucro operacional superar o valor da compra. 

    Com 14 faculdades e sete centros universitários, a rede oferece cursos de graduação, pós-graduação e preparatórios para residência em onze estados brasileiros: Paraná, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Bahia, Paraíba, Piauí, Maranhão, Pará, Acre, Rondônia e Tocantins.

    Em julho de 2019, a companhia abriu capital na Nasdaq, bolsa americana de tecnologia, quando arrecadou cerca de R$ 1,1 bilhão. Na época, a empresa disse que usaria o recurso para comprar escolas e entrar em novos mercados.

    Nesta quinta-feira, a companhia encerrou o dia valendo US$ 2,02 bilhões na Nasdaq, suas ações valorizando quase 5% ao longo do pregão.

    *Com Reuters

    (Texto publicado por Ligia Tuon)

    Tópicos

    Tópicos

    Mais Recentes da CNN