Gympass recebe aporte de US$ 220 milhões do SoftBank e é avaliada em US$ 2,2 bi

O financiamento ajudará a Gympass a se expandir nos Estados Unidos e entrar em novas categorias

Academia de ginástica
Academia de ginástica Foto: Unsplash/Danielle Cerullo

Noor Zainab Hussain,

da Reuters

Ouvir notícia

A Gympass, que torna a adesão a academias mais acessível para funcionários corporativos, arrecadou US$ 220 milhões em uma rodada de financiamento liderada pelo SoftBank Group, mais do que dobrando o valor da startup para US$ 2,2 bilhões.

Outros investidores que participaram da rodada incluem General Atlantic, Moore Strategic Ventures, Kaszek e Valor Capital Group, anunciará a empresa sediada em Nova York ainda nesta terça-feira.

Fundada no Brasil, a Gympass permite que as empresas ofereçam acesso às academias de ginástica aos funcionários por meio de uma rede de mais de 50.000 academias e estúdios em todo o mundo.

A empresa, avaliada em mais de US$ 1 bilhão em uma rodada de financiamento de 2019 liderada pelo SoftBank Vision Fund e pelo SoftBank Latin America Fund, também oferece por meio de sua plataforma serviços de terapia e orientação do sono para seus clientes, como McDonald’s, Accenture, KPMG e Santander.

A Gympass está registrando um crescimento de assinantes de dois dígitos mês a mês, conforme as empresas buscam programas para locais de trabalho híbridos alimentados pela pandemia, e seus parceiros de fitness nos EUA incluem Gold’s Gym, Soulcycle, F45 e Crunch Fitness.

“Já vimos um aumento nas visitas a academias e estúdios conforme os países começam a se abrir e esperamos um impulso ainda maior conforme as pessoas voltam para o escritório”, disse Cesar Carvalho, cofundador e presidente-executivo da Gympass.

O financiamento ajudará a Gympass a se expandir nos Estados Unidos e entrar em novas categorias, à medida que as pessoas voltam a se concentrar em seu bem-estar após a pandemia.

“Dormir melhor, comer melhor, fazer exercícios, ter certeza que sua saúde mental e emocional está no lugar certo, tudo isso vai fazer muito mais parte da nossa rotina”, disse Carvalho.

Mais Recentes da CNN