Hackers roubam quase US$ 34 milhões de plataforma de criptomoedas

Empresa anunciou novas medidas de segurança e reembolsou os 483 usuários afetados

Exchange de criptomoedas possui cerca de 10 milhões de usuários ativos
Exchange de criptomoedas possui cerca de 10 milhões de usuários ativos Dado Ruvic/Reuters

João Pedro Malardo CNN Brasil Business

em São Paulo

Ouvir notícia

A exchange de criptomoedas Crypto.com confirmou nesta quinta-feira (20), que cerca de US$ 33.690 milhões em ativos, considerando as últimas cotações de fechamento, foram roubados na segunda-feira (17), e anunciou novas medidas de segurança.

Em um comunicado publicado em seu site, a empresa afirma que 483 usuários da corretora foram afetadas. Ao todo, foram roubados 443,93 bitcoins, 4.836,26 ethereums e cerca de US$ 66,200 em outras criptomoedas.

O sistema da exchange, que possui cerca de 10 milhões de usuários, identificou na segunda-feira transações não autorizadas entre contas, que conseguiram burlar o sistema de autenticação em duas etapas da empresa.

Após a identificação, as transações na plataforma foram suspensas por 14 horas, e todas as contas afetadas foram reembolsadas.

A empresa afirmou que adicionou novas medidas em seu sistema para aumentar a segurança, incluindo a notificação de usuários quando as transações ocorrem, dando tempo para cancelá-las.

Também haverá um atraso de 24 horas entre o registro de contas por um usuário para efetuar transações e a realização da primeira transação para elas.

A Crypto.com anunciou que planeja migrar do sistema de autenticação em duas etapas para um de múltiplas etapas, o que deve “fornecer mais força para nossa base global de usuários”.

A exchange, com base em Singapura, afirmou ainda que vai lançar um programa global para oferecer mais segurança e proteção para as contas atualmente na plataforma. O programa cobrirá perdas de até US$ 250 mil.

O presidente da Crypto.com, Kris Marszalek, disse na terça-feira (18) que estava “particularmente feliz” com o apoio recebido dos usuários e com a “oportunidade que esse incidente nos deu para fortalecer ainda mais a força do nosso sistema”.

Mais Recentes da CNN