Historicamente tímida, participação feminina na bolsa salta 150% desde 2019

Em 2021 a participação feminina no mercado financeiro ultrapassou 1 milhão de contas, e o perfil das investidoras está cada vez mais jovem: entre 26 e 35 anos

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

 

Historicamente tímida, a participação feminina na bolsa de valores paulista, a B3, mais que dobrou entre os anos de 2019 e 2020. No período, o número de contas foi de 388 mil para mais de 847 mil. Em 2021, esse número ultrapassou 1 milhão, uma alta de 150% em comparação com dois anos antes. O perfil das novas investidoras é jovem: entre 26 e 35 anos.

Segundo levantamento feito pela B3, nos últimos seis anos, a evolução do crescimento da participação feminina foi visto anualmente (veja gráfico no pé do texto). Atualmente as mulheres representam 27,3% do total de CPFs que registrados na bolsa de valores.

Em São Paulo, estado mais rico da federação, estão registradas 399 mil investidoras, quase 40% do total. O Rio de Janeiro vem atrás, com 108 mil investidoras, seguido por Minas Gerais, com 98 mil. 

Segundo Ana Buchaim, diretora de pessoas, comunicação, marketing e sustentabilidade da B3, nos últimos dois anos, triplicou o número de investidores no total. Ela acredita que o acesso à educação financeira aumentou e as mulheres também perceberam isso.

Confira abaixo o crescimento da participação feminina na bolsa de valores desde 2016:

 

Mulher acompanha painel de ações
Mulher acompanha painel de ações
Foto: Andrew Brookes / Getty Images

 

Mais Recentes da CNN