Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    IBGE: apesar de auxílio emergencial, pandemia tirou R$ 10,6 bi dos brasileiros

    Auxílio emergencial elevou renda em circulação no Norte e Nordeste, mas não foi suficiente para repor rendimentos perdidos no restante do país

    Pessoas caminham em rua de comércio popular no Rio de Janeiro
    Pessoas caminham em rua de comércio popular no Rio de Janeiro Estadão Conteúdo

    Estadão Conteúdo

    Ouvir notícia

    A pandemia retirou das famílias brasileiras R$ 10,6 bilhões em 2020, a despeito do reforço proveniente de medidas emergenciais de socorro financeiro à população, mostram os dados da Pesquisa Nacional por Amostras de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) 2020 – Rendimento de todas as fontes, divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

    O pagamento do auxílio emergencial elevou a massa de renda em circulação nas regiões Norte e Nordeste, mas não foi suficiente para repor todos os rendimentos perdidos do trabalho e de aposentadorias no restante do país.

    A massa de rendimento médio mensal real domiciliar per capita totalizou R$ 284,6 bilhões em 2020, ante um montante de R$ 295,2 bilhões em 2019.

    Mais da metade (50,7%) desse bolo ficou concentrado no Sudeste, R$ 144,416 bilhões, embora tenha recuado 5,2% em relação ao ano anterior.

    Os aumentos na massa de renda no Norte foram de 3,6% (para R$ 16 437 bilhões) e no Nordeste foram de 1,4% (para R$ 50,989 bilhões), enquanto o Sul apresentou maior redução (-5,7%, para R$ 48,144 bilhões). No Centro-Oeste, a massa de rendimentos per capita foi de R$ 24,612 bilhões, queda de 3,98%.

    Os 10% do brasileiros mais ricos concentravam 41,6% de toda a massa de renda do país, o equivalente a cerca de R$ 118,4 bilhões nas mãos de pouco mais de 21 milhões de pessoas. Já os 21 milhões moradores mais pobres detinham apenas 0,9% de toda a soma de rendimentos, ou seja, dividiam apenas R$ 2,56 bilhões.

    O IBGE ressalta ainda que os 41,6% da massa de rendimentos nas mãos dos 10% mais ricos são praticamente equivalentes à soma de rendimentos dos 80% da população brasileira com os menores rendimentos (que detinham 43,0% da massa total).

     

     

     

    Mais Recentes da CNN