IGP-10 registra alta de 0,18% em julho, aponta FGV

O IGP-10 calcula os preços ao produtor, consumidor e na construção civil entre os dias 11 do mês anterior e 10 do mês de referência

Foto: Reuters/Rahel Patrasso

Camila Moreira,

da Reuters

Ouvir notícia

O Índice Geral de Preços-10 (IGP-10) passou a subir 0,18% em julho, depois de subir 2,32% no mês anterior, de acordo com os dados informados nesta sexta-feira (16) pela Fundação Getulio Vargas (FGV).

Com esse resultado, o índice passou a acumular em 12 meses alta de 34,61%. O dado de julho ficou abaixo da expectativa em pesquisa da Reuters de avanço de 0,21%.

No mês, houve queda de 0,07% do Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que mede a variação dos preços no atacado e responde por 60% do índice geral. Em junho o IPA havia subido 2,64%.

No mês, as Matérias-Primas Brutas registraram queda de 1,78% dos preços, depois de saltarem 3,66% em junho, influenciadas principalmente por minério de ferro (8,75% para -0,51%), soja em grão (-1,51% para -9,03%) e milho em grão (-0,11% para -8,52%).

“Áreas de cultivo nos Estados Unidos seguem ameaçadas pela baixa umidade, o que pode interromper precocemente a desaceleração dos preços desses grãos. Em contrapartida, a valorização do real deve contribuir para que os preços dessas commodities mantenham-se bem comportados no Brasil”, explicou André Braz, coordenador dos índices de preços.

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC-10), que responde por 30% do índice geral, avançou 0,70% em julho, de alta de 0,72% em junho.

Já o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) subiu 1,37% no período, de alta de 2,81% em junho.

O IGP-10 calcula os preços ao produtor, consumidor e na construção civil entre os dias 11 do mês anterior e 10 do mês de referência.

 

 

Mais Recentes da CNN