IGP-DI fecha mês com deflação de 0,58%, influenciado por queda de commodities

Indicador da FGV aponta queda de quase 25% no minério de ferro, um dos principais ativos da balança comercial brasileira

A queda de outubro para novembro foi motivada principalmente pelos preços do atacado
A queda de outubro para novembro foi motivada principalmente pelos preços do atacado Marcello Casal Jr./Agência Brasil

Stéfano Sallesda CNN

Ouvir notícia

Indicador da Fundação Getúlio Vargas (FGV) para medir a inflação, divulgado nesta terça-feira (7), o Índice Geral de Preços-Disponibilidade Interna (IGP-DI) registrou deflação de 0,58% em novembro.

Influenciada pelo cenário de queda de preços das commodities no mercado internacional, puxado principalmente pelas reduções do minério de ferro, da soja e do milho, a queda foi maior que a esperada pelos economistas.

A deflação ocorre após um outubro de alta de 1,60%. No mesmo período do ano passado, foi registrada elevação de 2,64%. Ao longo dos últimos 12 meses, o indicador subiu 17,16%. Se forem levados em conta apenas os dados de 2021, a elevação é de 16,28% nos 11 primeiros meses do ano.

A queda de outubro para novembro foi motivada principalmente pelos preços do atacado, aferidos por um dos quatro quesitos do indicador: o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), no qual houve deflação de 1,16%. A série vinha em alta de 1,90% em setembro.

O movimento foi influenciado principalmente pelos alimentos processados, que utilizam commodities agrícolas: passaram de 0,81% para -0,56%.

De acordo com André Braz, coordenador do Índice de Preços da FGV, a deflação é explicada integralmente pela queda nos preços das commodities. A metodologia do IGP-DI busca antecipar tendências inflacionárias no mercado, em relação à utilizada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), do IBGE, que mede a inflação oficial.

“O minério de ferro caiu quase 25%. Isso significa alívio nos setores que usam essa matéria prima, como a construção civil, que utiliza também chapas de aço, como a grande indústria, que os emprega em eletrodomésticos e carros. As commodities agrícolas também apresentaram queda de preços.

A redução do milho influencia o preço da ração, o que afeta todo o setor de aves e ovos. Estamos a um passo de ver o preço do frango mais barato nas gôndolas dos supermercados”, afirma.

A maior queda ocorreu no minério de ferro, que passou de 4,29% de alta em setembro para —24,98% em outubro. Esse é o terceiro produto mais exportado pelo país, depois da soja e dos óleos brutos de petróleo. Houve queda ainda na soja (de -0,38% para -3,73%) e no milho (-4,45% para -5,15%).

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), componente que afere o comportamento do varejo, apresentou alta: passou de 0,77% em outubro para 1,08% em novembro. Já o Índice Nacional da Construção Civil (INCC) apresentou queda, mas manteve patamar positivo, apesar da desaceleração: passou de 0,86% para 0,67%.

Mais Recentes da CNN