Incorporadora chinesa Sunac diz que não poderá pagar juros de títulos

De acordo com a empresa, rebaixamentos recentes por parte de agências de classificação de risco minarem a capacidade da empresa de financiar sua dívida

Construção de prédios residenciais em Xangai, China
Construção de prédios residenciais em Xangai, China REUTERS

Gabriel Caldeira, do Estadão Conteúdo

Ouvir notícia

A Sunac, uma das maiores incorporadoras imobiliárias da China, informou que não conseguirá pagar juros relacionados a emissões de títulos da sua dívida com prazos para a primeira semana de abril, em meio à crise de liquidez no setor desencadeada pela Evergrande, a principal companhia chinesa do ramo.

Uma das emissões, feita em abril de 2020, compreende o pagamento de 4 bilhões de yuans (cerca de US$ 628,7 bilhões) até o dia 1º do mês que vem, enquanto outra emissão obriga o repasse de 2 bilhões de yuans (ou US$ 314,3 bilhões) a credores até 6 de abril.

“No momento, a empresa está enfrentando uma pressão financeira por etapas, e espera-se que não consiga pagar os títulos acima mencionados na data de resgate e pagamento de juros”, disse a companhia em comunicado.

A Sunac afirmou que levantou fundos há poucos dias para pagar integralmente os juros e prometeu discutir a extensão dos prazos com os detentores dos títulos no “futuro próximo”.

Na quinta-feira (24), a Fitch Ratings rebaixou o rating da incorporadora de “B-” para “CC”, citando a dificuldade da companhia em pagar seus credores.

De acordo com a Sunac, rebaixamentos recentes por parte de agências de classificação de risco minarem a capacidade da empresa de financiar sua dívida.

Mais Recentes da CNN