Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Índice de Xangai fecha em baixa com tensões comerciais entre EUA e China

    Tensões voltaram a crescer depois que o governo norte-americano barrou voos aos EUA de companhias aéreas chinesas

    A ação da Evergrande em Hong Kong subiu 4,71%, impulsionando outras empresas do setor.
    A ação da Evergrande em Hong Kong subiu 4,71%, impulsionando outras empresas do setor. Foto: Issei Kato/Reuters

    Da Reuters

    Ouvir notícia

    O índice acionário de Xangai fechou em baixa nesta quinta-feira (4) com o aumento das preocupações sobre as tensões comerciais entre Estados Unidos e China depois que o governo norte-americano barrou voos aos EUA de companhias aéreas chinesas.

    O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, fechou com perdas de 0,04%, enquanto o índice de Xangai teve queda de 0,14%, depois de oscilar entre territórios positivo e negativo.

    O subíndice do setor financeiro do CSI300 recuou 0,3%, o de consumo subiu 0,65%, o imobiliário caiu 0,54% e o de saúde avançou 0,88%.

    O governo de Donald Trump decidiu na quarta-feira impedir que companhias áreas de passageiros chinesas voem para os EUA a partir de 16 de junho, enquanto a Administração de Aviação Civil da China permitiu que mais companhias qualificadas voem para a China continental na quinta-feira.

    . Em TÓQUIO, o índice Nikkei avançou 0,36%, a 22.695 pontos.

    . Em HONG KONG, o índice HANG SENG subiu 0,17%, a 24.366 pontos.

    . Em XANGAI, o índice SSEC perdeu 0,14%, a 2.919 pontos.

    . O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, retrocedeu 0,04%, a 3.982 pontos.

    . Em SEUL, o índice KOSPI teve valorização de 0,19%, a 2.151 pontos.

    . Em TAIWAN, o índice TAIEX registrou alta de 0,65%, a 11.393 pontos.

    . Em CINGAPURA, o índice STRAITS TIMES valorizou-se 0,25%, a 2.707 pontos.

    . Em SYDNEY o índice S&P/ASX 200 avançou 0,84%, a 5.991 pontos.

    Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook

    Mais Recentes da CNN