Inflação alemã bate 6% em novembro e aumenta pressão sobre BCE

A leitura foi a mais alta registrada desde janeiro de 1997

A Europa Oriental é particularmente atingida por novo surto de Covid-19
A Europa Oriental é particularmente atingida por novo surto de Covid-19 Wolfgang Rattay - 12.dez.2020/Reuters

Michael Nienaberda Reuters

Ouvir notícia

A inflação dos preços ao consumidor na Alemanha acelerou mais em novembro e bateu um recorde, enquanto a maior economia da Europa luta contra a escassez de oferta e a alta dos preços da energia, mostraram dados preliminares nesta segunda-feira (29) aumentando a pressão para o BCE reagir à elevação dos custos.

Os preços ao consumidor, ajustados para torná-los comparáveis com os dados de inflação de outros países da União Europeia (UE), aumentaram 6,0% no comparativo anual, após acréscimo de 4,6% em outubro, informou o Escritório Federal de Estatísticas da Alemanha.

A leitura foi a mais alta registrada desde janeiro de 1997, quando a série harmonizada da UE teve início.

O índice nacional de preços ao consumidor (IPC) aumentou 5,2% com relação a um ano antes, a maior taxa desde junho de 1992.

Mais Recentes da CNN