‘Inflação do aluguel’ fica em 0,6% em junho; em 12 meses, alta é de 35,75%

No ano, o índice acumula alta de 15,08% no ano. Em junho de 2020, o índice havia subido 1,56% e acumulava alta de 7,31% em 12 meses

Imóveis em São Paulo (SP)
Imóveis em São Paulo (SP) Foto: Diogo Moreira/Governo do Estado de São Paulo

Thâmara Kaoru,

do CNN Brasil Business, em São Paulo

Ouvir notícia

O IGP-M (Índice Geral de Preços-Mercado) variou 0,6% em junho, contra 4,1% em maio, segundo dados divulgados nesta terça-feira (29) pela FGV (Fundação Getulio Vargas). Com o resultado, o índice, que é conhecido como inflação do aluguel, avançou 35,75% em 12 meses.

No ano, o índice acumula alta de 15,08%. Em junho de 2020, o índice havia subido 1,56% e, em 12 meses, a alta era de 7,31%.

 

Segundo a FGV, o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) variou 0,42% em junho, ante 5,23% em maio.

“A combinação de valorização do real com o recuo dos preços em dólar de commodities importantes, fez o grupo matérias-primas brutas do IPA cair 1,28% em junho, ante alta de 10,15% no mês passado. Com este movimento, a taxa do IPA registrou expressiva desaceleração fechando o mês com alta de 0,42%”, afirma André Braz, Coordenador dos Índices de Preços.

Já o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) variou 0,57% em junho, ante 0,61% em maio. Cinco das oito classes de despesa que compõe o índice registraram queda em suas taxas de variação. A principal contribuição partiu do grupo Saúde e Cuidados Pessoais, que passou de 0,89% para 0,07%. Os medicamentos, por exemplo, passaram de 2,39% em maio para 0,62% em junho.

Em contrapartida, os grupos Transportes (0,75% para 1,43%) e Despesas Diversas (0,19% para 0,29%) registraram alta, com destaque para gasolina, que subiu 1,03% para 2,72%, e alimentos para animais domésticos, que passou de 1,02% para 2,60%.

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) subiu 2,30% em junho, ante 1,80% no mês anterior.

Mais Recentes da CNN