Inflação não subiu só no Brasil, mas no mundo, diz Tereza Cristina à CNN

De acordo com a ministra da Agricultura, o aumento de preços não tem a ver com a pandemia, mas sim, por um 'desequilíbrio na oferta de produtos'

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

Em entrevista exclusiva à CNN nesta quinta-feira (24), a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, afirmou que a inflação não subiu só no Brasil, mas em todo o mundo. 

A ministra falou principalmente sobre a relação entre o aumento de preços dos alimentos, que têm incomodado muito os brasileiros, e pressionado a inflação, o que, segundo ela, “toda vida tem sido assim”. De acordo com a ministra, em um primeiro momento, esse aumento nada tem a ver com a pandemia do novo coronavírus.

“Nós temos hoje o Brasil produzindo muito, a inflação dos alimentos aconteceu não só no Brasil, mas no mundo todo, houve um desequilíbrio na oferta de produtos, e também tivemos o arroz que foi um caso emblemático mais estruturante. Não teve nada a ver com a pandemia, a princípio. Houve aí um período de falta de incentivo da produção de arroz, que  ficou muito barato no país e muita gente saiu fora da produção. Então, tivemos um decréscimo de oferta de arroz e, na pandemia, houve uma mudança de hábito, se consumiu mais arroz. O preço, portanto, subiu”, explicou Tereza Cristina.

 

Tereza Cristina
A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, falou sobre a saída de Ricardo Salles da pasta do Meio Ambiente
Foto: CNN Brasil (24.jun.2021)

A ministra também falou que houve uma alta dos insumos, acentuada mais ainda com a crise sanitária. “Tivemos uma demanda mundial por alimentos, e o Brasil é um grande fornecedor e produtor de alimentos para mais de 200 países. Por isso houve um desequilíbrio”, disse.

O boom das commodities mundiais, como ocorreu em 2007, afirmou Tereza Cristina, também tem relação direta nos preços dos alimentos. “Nos Estados Unidos tem um aumento [no preço] das carnes muito acentuado, mas isso volta. O arroz já voltou. Não sei quando vai voltar na prateleira do supermercado, mas para o produtor, o preço já caiu bastante do que foi no ano passado.”

Para solucionar o problema, segundo a ministra da Agricultura, só produzindo mais. “Com o aumento da oferta, os preços caem.”

No ano passado, praticamente tomado pela pandemia de Covid-19, o setor do agronegócio foi o único que cresceu no Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro de 2020. Segundo dados do PIB do primeiro trimestre deste ano, a expansão da economia brasileira veio dos resultados positivos na agropecuária (5,7%) — crescimento muito acima da média de outros setores de atividade.

Plano Safra

Sobre o aporte de R$ 13 bilhões do Tesouro Nacional no Plano Safra 2021/2022, voltado aos pequenos e médios agrigultores do país, anunciado pelo governo federal na segunda-feira (21), a ministra avaliou como “muito satisfatório” e destacou que os juros estão mais razoáveis e ajudam em uma agricultura mais sustentável. “Foi satisfatório. Nós atendemos, principalmente, o nosso público prioriário hoje, que são os pequenos produtores. Vai ser muito bom para trazer esse pequeno agricultor para produzir melhor. É um plano mais verde, colocando juros bem razoáveis para que o produtor rural faça cada vez mais a sua agricultura mais sustentável.”

(Publicado por Ana Carolina Nunes, do CNN Brasil Business)

Mais Recentes da CNN