Inflação nos EUA faz consumidores buscarem marcas mais baratas

Segundo redes de supermercados, clientes têm consumido menos e buscado alternativas mais baratas em meio à inflação recorde

Pessoa empurra carrinho de compras em supermercado em Manhattan, Nova York
Pessoa empurra carrinho de compras em supermercado em Manhattan, Nova York , EUA28/03/2022REUTERS/Andrew Kelly

Nathaniel Meyersohndo CNN Business

Ouvir notícia

A alta inflação está mudando os hábitos de compras dos consumidores dos EUA. A Kroger, maior rede de supermercados do país, disse nesta quinta-feira (16) que os compradores com orçamento limitado estavam adquirindo menos itens nas lojas, favorecendo as marcas mais baratas do estabelecimento em vez de marcas conhecidas e mudando de carne bovina para suína.

“O aumento da inflação fez com que os consumidores repensassem seus hábitos de compra e alimentação”, disse o CEO da Kroger, Rodney McMullen, em uma ligação com analistas. “Estamos vendo diferentes comportamentos de compra com base em como os clientes individuais estão experimentando o atual ambiente inflacionário”.

A Kroger é a mais recente grande cadeia a destacar as mudanças do consumidor em resposta ao aumento dos preços de alimentos, gás, aluguel e outros bens e serviços.

Os preços recordes do gás levaram a inflação para 8,6% nos 12 meses encerrados em maio, de acordo com o último Índice de Preços ao Consumidor, principal medida de inflação do governo. Os preços dos alimentos comprados para consumo em casa subiram 11,9%, o maior aumento em 12 meses desde 1979, com ovos (32,2%), leite (15,9%) e aves (16,6%) puxando a alta.

“Uma família média dos EUA está gastando cerca de US$ 460 a mais todo mês do que no ano passado para comprar a mesma cesta de bens e serviços”, disse Mark Zandi, economista-chefe da Moody’s Analytics.

O Walmart, maior varejista dos Estados Unidos, disse que alguns consumidores estão mudando suas compra de galões de leite para meio galão. Os clientes do Walmart também estão comprando cada vez mais marcas próprias.

Já a Dollar General, maior rede de lojas do dólar americano, está vendo seus principais clientes — aqueles com renda familiar abaixo de US$ 40.000 por ano — “começarem a comprar mais intencionalmente”, disse o CEO Todd Vasos, em uma teleconferência de resultados no mês passado.

“Os preços da gasolina a US$ 5 o galão estão levando alguns clientes a se concentrarem em dirigir até as lojas localizadas mais próximas de suas casas”, acrescentou Vasos. Esta é uma vantagem para a Dollar General, que tem cerca de 19.000 lojas e muitas vezes é a única varejista em algumas cidades rurais.

A empresa planeja adicionar mais itens de US$ 1 em suas lojas, bem como marcas próprias de preços mais baixos, para atrair melhor os compradores impactados pela alta da inflação.

Outras redes de descontos também dizem que estão atraindo novos clientes que buscam alternativas mais baratas.

“Os consumidores estão claramente se sentindo pressionados pela inflação e procurando esticar seu orçamento”, disse RJ Sheedy, presidente do Grocery Outlet, no mês passado.

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Mais Recentes da CNN