INSS divulga calendário de prova de vida para aposentados e pensionistas

Antes da pandemia, a prova de vida era feita anualmente. Desde o ano passado, porém, o INSS decidiu suspender a prática

Cédulas de real: R$ 100 e R$ 50
Cédulas de real: R$ 100 e R$ 50 Foto: IKZMiranda/Pixabay

Thâmara Kaoru, do CNN Brasil Business, em São Paulo

Ouvir notícia

O INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) publicou no Diário Oficial da União desta sexta-feira (26) um calendário para a retomada a prova de vida para aposentados e pensionistas do instituto.

A prova de vida, também chamada de “fé de vida” ou “renovação de senha”, é um procedimento em os segurados do INSS precisam comprovar que estão vivos para continuar recebendo o benefício. Em geral, eles devem comparecer ao banco pagador do benefício para fazer o processo.

Antes da pandemia, a prova de vida era feita anualmente. Desde o ano passado, o INSS decidiu suspender a prática.

A partir da competência maio de 2021, a prova de vida volta a ser exigida, mas de forma escalonada.

Por exemplo, quem tinha que ter feito a prova de vida em março e abril de 2020, deverá fazer o procedimento em maio. Quem deveria ter feito a comprovação em maio e junho do ano passado, terá que buscar o banco em junho. Confira todas as datas:

Os segurados que não fazem a comprovação de vida podem ter o benefício bloqueado. Para voltar a receber, é necessário buscar o banco. 

Prova de vida digital

Nesta semana, o governo anunciou que a prova de vida digital por biometria facial poderá ser feita pelo aplicativo Meu gov.br por 5,3 milhões de brasileiros que não comprovaram vida no ano passado. A prova de vida digital é um projeto piloto, e o INSS seleciona os participantes, que receberão contato do instituto para acessar o serviço. 

Para a biometria facial, o INSS usará a base de dados do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) e do Tribunal Superior Eleitoral. Assim, foram selecionados segurados que tenham carteira de motorista ou título de eleitor.

 

Mais Recentes da CNN