Instagram percebeu que não é tão fácil derrubar o TikTok

Seis meses depois do lançamento, o Reels não está decolando da maneira que o Instagram esperava

A nova função do Instagram, o Reels
A nova função do Instagram, o Reels Foto: Reprodução/Facebook

Kaya Yurieff , CNN Business

Ouvir notícia

Demorou menos de seis meses para o recurso Stories do Instagram, clone do Snapchat, alcançar o tamanho do público de seu rival. O recurso passou a atrapalhar o crescimento de usuários do Snapchat no momento em que a empresa se preparava para fazer sua estreia em Wall Street em 2017.

Mas o Instagram e sua empresa controladora, o Facebook (FB), estão tendo mais dificuldade para repetir o feito com o TikTok.

O Instagram lançou o Reels, um produto de vídeo de formato reduzido em 5 de agosto nos Estados Unidos, dias depois de o ex-presidente Donald Trump anunciar planos para banir o TikTok (de propriedade chinesa) do país, levando usuários em pânico a procurar alternativas.

 

Seis meses depois, o Reels não está decolando da maneira que o Instagram esperava. O TikTok sobreviveu ao governo Trump e continua popular, com cerca de 100 milhões de usuários somente nos Estados Unidos, um impacto significativo na cultura pop norte-americana e uma mistura leal de influenciadores que não parecem estar indo a lugar nenhum. Ao contrário do que fez com o Stories, o Instagram ainda não divulgou nenhuma métrica sobre os Reels ao completar seis meses do seu lançamento.

“O TikTok está anos-luz à frente dos Reels”, comparou Evan Asano, CEO da agência de marketing de influência Mediakix, referindo-se ao poderoso sistema de recomendação de conteúdo do TikTok e ao fato de que o aplicativo é muito mais focado que o do Instagram, que tem uma lista crescente de ofertas de vídeos concorrentes.

Adam Mosseri, chefe do Instagram, admitiu recentemente que o Reels tinha trabalho a fazer e sugeriu a necessidade do Instagram de simplificar ou consolidar suas várias ofertas de produtos de vídeo.

“Ainda não estou feliz com ele”, declarou Mosseri em uma entrevista ao portal The Verge no mês passado, sobre o Reels. “Estamos crescendo em termos de quanto as pessoas estão compartilhando e de quanto estão consumindo, mas ainda temos um longo caminho pela frente.”

O Facebook está sob a lupa de órgãos reguladores e críticos por sua abordagem agressiva para adquirir ou clonar rivais e assim manter seu domínio no mercado de mídia social. Mas a luta inicial do Instagram para enfrentar o TikTok é um lembrete de que vários produtos imitadores do Facebook fracassaram ou ficaram aquém dos originais. Construir um clone é fácil; criar uma comunidade ativa e vibrante não é, nem mesmo para o maioral das mídias sociais.

O Instagram fez alguns ajustes no produto desde o lançamento, incluindo dar ao Reels seu próprio guia na tela inicial do Instagram e adicionar mais ferramentas de edição. Mas, em grande parte, o Instagram Reels continua sendo o lar dos maiores sucessos do TikTok, com muitas pessoas postando vídeos populares do TikTok com a marca d’água da plataforma para os Reels. É comum percorrer os vídeos dos recursos do Instagram e ver um vídeo do TikTok após o outro.

“Todo mundo sempre me diz ‘Vou fazer um vídeo pro TikTok’, mas nunca diz ‘Vamos filmar para Reels’”, disse Parker Pannell, um jovem de 17 anos com 2,4 milhões de seguidores de TikTok que pensa em postar no Reels só em segundo caso. “O TikTok cria as tendências, constrói novos criadores, as pessoas montam a base de seus seguidores mais leais lá. As pessoas estão confortáveis no ambiente do TikTok, não estão prontas para fazer a transição para outra plataforma como o Reels”.

Não é a primeira vez que o Instagram tem lutado para ganhar força com o vídeo. Em 2018, a rede lançou um novo recurso de vídeo de formato longo e um aplicativo independente chamado IGTV, em uma tentativa de roubar usuários do YouTube, mas teve dificuldade em decolar. O Instagram acabou removendo o botão IGTV no topo do feed das pessoas porque quase ninguém clicava nele. Agora os vídeos IGTV fazem parte do feed principal.

Com o Reels, o Instagram tentou replicar muito do que torna o TikTok popular, incluindo efeitos de edição e a capacidade de adicionar música ou som de fundo. Mas o que é mais difícil de emular é o poderoso recurso “For You” do TikTok e seu algoritmo, que fornece vídeos adaptados aos interesses de cada usuário.

“Eu nunca descartaria o Instagram, pois ele geralmente está focado em como ficar no topo da competição”, afirmou Karyn Spencer, CMO da agência de influência Whalar e ex-chefe de criadores da plataforma de vídeo curta Vine. “Ao mesmo tempo, acho que nenhum de nós experimenta o mesmo tipo de algoritmo no Instagram que tem atualmente no TikTok.”

O início mais lento com os Reels também pode destacar um problema mais amplo com o Instagram. “Fazer a coisa simples primeiro” era um mantra para a empresa, mas alguns especialistas em mídia social dizem que o aplicativo fica cada vez mais complicado e confuso à medida que mais e mais recursos são lançados. E é difícil não sentir a influência do Facebook, especialmente porque os fundadores dos Instagram deixaram o aplicativo em 2018.

A simplicidade do TikTok dá a ele uma “grande vantagem”, disse Asano, da Mediakix, acrescentando que o Instagram agora tem recursos de compras, Stories, Reels e outros formatos de vídeo, que ele sente que acabam competindo uns com os outros.

“Logo você acaba com um monstro que ninguém consegue entender”, concluiu.

(Texto traduzido, clique aqui para ler o original em inglês)

Mais Recentes da CNN