Invasão russa interrompeu 30% da economia da Ucrânia, diz ministro das Finanças

Crise na Ucrânia também pode cortar mais de um ponto percentual do crescimento global este ano

Estragos provocados pela guerra em Mariupol já custavam cerca de US$ 100 bilhões em infraestrutura, edifícios e outros ativos físicos
Estragos provocados pela guerra em Mariupol já custavam cerca de US$ 100 bilhões em infraestrutura, edifícios e outros ativos físicos Reuters

Natalia ZinetsMax Hunderda Reuters

Ouvir notícia

A invasão russa forçou 30% da economia da Ucrânia a parar de funcionar, disse o ministro das Finanças, Serhiy Marchenko, em entrevista televisionada neste sábado.

“Nossas receitas fiscais não nos permitem cobrir nossas necessidades, [portanto] o principal fluxo de receita é o empréstimo”, disse Marchenko.

O principal assessor econômico do governo da Ucrânia, Oleg Ustenko, disseque as forças invasoras russas destruíram até agora pelo menos US$ 100 bilhões em infraestrutura, edifícios e outros ativos físicos.

Ustenko, conselheiro econômico do presidente ucraniano Volodymyr Zelenskiy, declarou em um evento online organizado pelo Instituto Peterson de Economia Internacional que a guerra fez com que 50% das empresas ucranianas fechassem completamente, enquanto a outra metade está operando bem abaixo de sua capacidade.

Nove em cada dez ucranianos podem enfrentar pobreza e extrema vulnerabilidade econômica se a guerra se prolongar no próximo ano, eliminando duas décadas de ganhos econômicos, disse o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

Achim Steiner, administrador do PNUD, disse que sua agência estava trabalhando com o governo de Kiev para evitar o pior cenário de colapso da economia. O objetivo era fornecer transferências em dinheiro para as famílias comprarem alimentos para sobreviver e sustentar os serviços básicos.

A linha de pobreza é geralmente definida como poder de compra de US$ 5,50 a US$ 13 por pessoa por dia, acrescentou ele em uma entrevista em vídeo de Nova York. Antes de a Rússia invadir o país, em 24 de fevereiro, cerca de 2% dos ucranianos viviam abaixo da linha de US$ 5,50, disse ele.

“Estimamos que até 18 anos de ganhos de desenvolvimento da Ucrânia podem ser simplesmente eliminados em questão de 12 a 18 meses”, disse Steiner.

Europa

E não é só a Ucrânia que será impactada com a invasão. O risco de estagflação causa medo nos corações dos economistas – e formuladores de políticas monetárias – em todo o mundo. A Europa pode estar caminhando para algo ainda pior.

As sanções ocidentais impostas após a invasão da Ucrânia pela Rússia fizeram com que os preços globais da energia disparassem e a confiança do consumidor despencasse na Europa. A Rússia está sendo cortada dos mercados financeiros ocidentais.

Os analistas do Barclays reduziram sua previsão de crescimento da zona do euro para este ano em 1,7 pontos percentuais, para 2,4%. Espera-se que o consumo privado, o investimento e as exportações cresçam a um ritmo mais lento em todo o continente.

O Barclays também elevou sua previsão de inflação para a zona do euro em 2022 em 1,9 pontos percentuais, para 5,6%.

Qual é o pior cenário para a economia da Europa?

Uma proibição completa das importações de energia da Rússia elevaria os preços do petróleo Brent para US$ 160 por barril e levaria a zona do euro à terceira recessão desde o início da pandemia de coronavírus, segundo a Capital Economics.

“Um colapso no comércio de energia russo precipitaria o racionamento de energia em partes da Europa, o que, por sua vez, romperia as cadeias de suprimentos e poderia aumentar a pressão inflacionária globalmente”, disse a economista Caroline Bain.

“Os preços mais altos da energia também aumentariam os preços das commodities agrícolas e metais industriais”, acrescentou.

A Rússia, que precisa de receita de energia para financiar os gastos do governo e manter sua economia à tona, alertou o Ocidente sobre a proibição das importações de petróleo.

“É absolutamente claro que uma rejeição do petróleo russo levaria a consequências catastróficas para o mercado global”, disse o vice-primeiro-ministro russo Alexander Novak na televisão estatal, segundo a Reuters.

“O aumento nos preços seria imprevisível. Seria US$ 300 por barril, se não mais“, acrescentou Novak, que também atuou como ministro da Energia.

Crescimento Global

A crise na Ucrânia também pode cortar mais de um ponto percentual do crescimento global este ano e acrescentar 2,5 pontos à inflação, estimou a Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) .

Aumentos bem direcionados de gastos governamentais dos países da OCDE na ordem de 0,5% do PIB podem reduzir o impacto econômico da guerra em cerca de metade sem aumentar de forma significativa a inflação, disse a Organização.

invasão da Ucrânia pela Rússia afetará toda a economia global ao desacelerar o crescimento e aumentar a inflação, e pode remodelar fundamentalmente a ordem econômica global a longo prazo, disse também o Fundo Monetário Internacional (FMI).

Autoridades do FMI já disseram que esperam reduzir a previsão anterior do Fundo de crescimento econômico global de 4,4% em 2022.

*Com informações de Charles Riley, do CNN Business

Mais Recentes da CNN