IPC-Fipe sobe 0,61% na 1ª quadrissemana de dezembro, após +0,72% em novembro

Índice de Preços ao Consumidor perdeu força em quatro dos sete componentes analisados: Habitação, Despesas Pessoais, Vestuário e Transporte

Educação acelera, enquanto Alimentação migra para inflação e Saúde fica estagnada
Educação acelera, enquanto Alimentação migra para inflação e Saúde fica estagnada REUTERS/Pilar Olivares

André Marinho, do Estadão Conteúdo

Ouvir notícia

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que mede a inflação na cidade de São Paulo, subiu 0,61% na primeira quadrissemana de dezembro, desacelerando em relação ao ganho de 0,72% observado no fechamento de novembro, segundo dados publicados nesta quinta-feira pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe).

Na primeira leitura deste mês, quatro dos sete itens do IPC-Fipe perderam força: Habitação (de 0,49% em novembro para 0,28% na primeira quadrissemana de dezembro), Despesas Pessoais (de 1,87% a 1,62%), Vestuário (de 0,67% a 0,58%) e Transportes (de 2,24% a 1,87%).

Por outro lado, houve aceleração no item de Educação (de 0,06% a 0,08%), enquanto Alimentação migrou para inflação (de -0,15% para 0,04%). Saúde ficou estagnado em -0,39%.

Veja abaixo como ficaram os componentes do IPC-Fipe na primeira quadrissemana de dezembro:

– Habitação: 0,28%

– Alimentação: 0,04%

– Transportes: 1,87%

– Despesas Pessoais: 1,62%

– Saúde: -0,39%

– Vestuário: 0,58%

– Educação: 0,08%

– Índice Geral: 0,61%

Mais Recentes da CNN