IPO de cemitérios: administradora Cortel pede registro de abertura de capital

A oferta será primária e secundária e terá a XP Investimentos coordenando a operação

Foto: Amanda Perobelli/Reuters

Peter Frontini, da Reuters

Ouvir notícia

O Grupo Cortel, que opera cemitérios, crematórios e funerárias, pediu nesta segunda-feira aval para realizar uma oferta inicial de ações (IPO).

A companhia atua nos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Amazonas e conta com 10 cemitérios em seu portfólio, também atuando em diversos outros “produtos e serviços atrelados ao luto”, segundo o prospecto preliminar da operação.

Leia também:
Coca-Cola, Nestlé, BRF: empresas propõem combater racismo após caso João Alberto
Tesla dispara na bolsa e passa a valer cinco vezes mais do que GM e Ford juntas

O grupo também possui cinco crematórios, crematório animal, casa funerária e administra três cemitérios nos quais possui participação minoritária. Realiza cerca de 4.900 sepultamentos e 5.500 cremações por ano, mostrou o documento.

Nos nove primeiros meses de 2020, o grupo teve receita líquida de R$ 75,9 milhões, ante R$ 55,4 milhões no mesmo período do ano anterior. O lucro líquido foi R$ 21,5 milhões, em comparação com R$ 9,1 milhões na mesma etapa de 2019.

A empresa planeja expandir suas operações com a aquisição de ativos “em regiões com baixo atendimento profissional de cemitérios e serviços funerários”, mas que possuam população acima de 500 mil habitantes e com PIB per capita acima da média do país.

A oferta será primária e secundária e terá a XP Investimentos coordenando a operação.

Segundo a companhia, se por um lado a epidemia de Covid-19 tem limitado “o tempo do cerimonial fúnebre” para duas horas, podendo “afetar os serviços de maior valor agregado durante este período de isolamento social”, por outro “alguns empreendimentos, já apresentam aumento de demanda e consequentemente aumento em suas receitas”, afirmou a Cortel no prospecto.

“A expectativa da companhia é que haja um aumento de demanda nos próximos meses em virtude das mortes por Covid-19”, acrescentou a companhia.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook

Mais Recentes da CNN