Lagarde, do BCE, pede aos governos e à União Europeia que gastem

A presidente do BCE, Christine Lagarde, defende que manter o estímulo abundante em vigor para reanimar a economia atingida pela recessão

Presidente do BCE, Christine Lagarde disse que riscos para atuais projeções são "claramente negativos", diante do coronavírus
Presidente do BCE, Christine Lagarde disse que riscos para atuais projeções são "claramente negativos", diante do coronavírus Foto: REUTERS/Vincent Kessler/File Photo

Balazs Koranyi, da Reuters

Ouvir notícia

O Banco Central Europeu vai manter o estímulo abundante em vigor para reanimar a economia atingida pela recessão, mas precisa que os governos continuem gastando, disse a presidente do BCE, Christine Lagarde, nesta segunda-feira.

Com a zona do euro sofrendo uma recessão profunda no ano passado, os governos gastaram muito para manter a atividade, mas alguns agora parecem relutantes em prorrogar a ajuda, enquanto um pacote de apoio da UE de 750 bilhões de euros ainda precisa ser finalizado.

“A política fiscal — tanto a nível nacional como europeu — continua a ser crucial para apoiar a recuperação”, disse Lagarde ao Parlamento Europeu.

Lagarde argumentou que o pacote da UE, conhecido como Fundo da UE da Próxima Geração, já pode impulsionar o crescimento este ano, se for implementado no cronograma originalmente previsto.

Por sua parte, o BCE manterá a sua política monetária ultraflexível, uma vez que o aumento inesperado da inflação no mês passado mascarou a fraca dinâmica do núcleo dos preços.

“As pressões do núcleo dos preços devem permanecer moderadas devido à fraca demanda, baixas pressões salariais e à valorização da taxa de câmbio do euro”, disse Lagarde ao Parlamento Europeu. “Nossa promessa de preservar as condições de financiamento favoráveis ??é crucial no ambiente atual.”

Mais Recentes da CNN