Liberação do FGTS não gera impacto inflacionário, diz Adolfo Sachsida à CNN

Assessor especial de assuntos estratégicos também afirmou que essa é uma oportunidade de sacar o dinheiro e colocar as contas em dia

Artur NicoceliThiago Félixdo CNN Brasil Business

Ouvir notícia

Em entrevista à CNN, Adolfo Sachsida, assessor especial de assuntos estratégicos do Ministério da Economia, afirmou que a liberação do FGTS não gera impacto inflacionário, já que o dinheiro que será disponibilizado já existe na economia e, segundo ele, só será realocado.

Ele diz ainda que acredita que alguns brasileiros usarão o dinheiro para pagar o colégio do filho, por exemplo, ou quitar dívidas do cartão de crédito “e até [usarão o montante] para pular o carnaval”.

Ele explica que o dinheiro pode ser usado também para movimentar determinados serviços, como o de consumo, impactando o preço de determinados produtos – mas não o todo. A inflação é o aumento generalizado no nível do preço.

Vale destacar que o impacto da inflação no Brasil foi sentida por 95% da população, segundo a Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Dados da pesquisa Comportamento e economia no pós-pandemia mostram que a percepção de inflação aumentou 22 pontos percentuais desde o último estudo, em novembro de 2021, quando foi registrado 73% no indicador.

“Essa é uma oportunidade de sacar o dinheiro e colocar as contas em dia”, afirma o assessor especial.

Começa nesta quarta-feira (20) o saque extraordinário do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) de até R$ 1.000. São cerca de R$ 30 bilhões liberados para aproximadamente para 42 milhões de brasileiros, segundo a Caixa. Os valores para retirada ficam disponíveis até 15 de dezembro deste ano. Confira o calendário:

Quem tem direito e como sacar

Os trabalhadores que tiverem contas ativas e inativas do FGTS e recursos disponíveis para saque podem retirar até R$ 1.000.

O crédito do saque do FGTS será realizado em conta poupança social digital, aberta automaticamente pela Caixa. Para saber se tem direito ao saque, o trabalhador pode consultar o aplicativo FGTS ou o site fgts.caixa.gov.br.

Após o crédito dos valores será possível pagar boletos e contas, utilizar o cartão de débito virtual para pagamento em lojas, sites ou aplicativos e fazer compras em supermercados, padarias, farmácias e outros estabelecimentos pagando com o QR code. Esses processos são feitos pelo aplicativo Caixa Tem.

O valor também poderá ser transferido para outras contas bancárias. Segundo a Caixa, o cliente pode ainda realizar transações por meio do Pix, além de efetuar saque nos terminais de autoatendimento da Caixa e nas casas lotéricas.

Não estarão disponíveis para saque os valores que estiverem bloqueados na conta do FGTS, como para garantia de operações de crédito de antecipação do saque-aniversário, por exemplo.

O banco destaca que, caso o crédito dos valores tenha sido feito e a conta não seja movimentada até 15 de dezembro de 2022, os recursos serão retornados à conta do FGTS, devidamente corrigidos e sem prejuízo ao trabalhador.

Quem não quiser a liberação dos R$ 1.000 também usar o aplicativo FGTS para informar a Caixa.

(Veja a entrevista completa no vídeo acima)

*Com informações de Fabrício Julião, do CNN Brasil Business

 

Mais Recentes da CNN