Lucro do Goldman Sachs fica abaixo das estimativas e ações caem

Balanço do banco americano foi impactado por fracos volumes de negociações nos mercados de capitais, à medida que o Fed reduziu o ritmo de compras de ativos

Logo do Goldman Sachs
Logo do Goldman Sachs 11/11/2021. REUTERS/Andrew Kelly

Por Noor Zainab Hussain e Niket Nishant e Matt Scuffham, da Reuters

Ouvir notícia

O lucro do Goldman Sachs no quarto trimestre caiu quase 13% e ficou abaixo das expectativas do mercado, divulgou o banco nesta terça-feira (18).

O balanço do Goldman foi impactado no período por fracos volumes de negociações nos mercados de capitais, à medida que o Federal Reserve (Fed) reduziu o ritmo de compras de ativos, após 18 meses injetando liquidez nos mercados para reduzir os efeitos da pandemia.

A unidade de “trading” do Goldman registrou um lucro menor no trimestre encerrado em dezembro em comparação anual, uma vez que uma economia mais estável resultou em menos volatilidade nos mercados financeiros.

O negócio de mercados globais, que abriga a operação de “trading” e responde por cerca de um terço da receita geral do banco, registrou receita de quase US$ 4 bilhões, queda de 7%.

Comparado a um forte trimestre no mesmo período de 2020, quando os volumes de negociação dispararam, o banco disse que a receita com subscrição de ações caiu 8% no trimestre devido aos menores ganhos com ofertas secundárias de ações.

O lucro líquido aplicável aos acionistas caiu para US$ 3,81 bilhões no trimestre encerrado em 31 de dezembro, de US$ 4,36 bilhões no mesmo período do ano anterior. O lucro por ação caiu para US$ 10,81, de US$ 12,08 um ano antes.

A média das estimativas de analistas era de lucro de US$ 11,76 por ação, segundo dados da Refinitiv. As ações do banco cediam em Wall Street.

O Goldman, no entanto, registrou um salto de 45% na receita de banco de investimento para US$ 3,80 bilhões, já que seus principais funcionários arrecadaram taxas recordes com assessoria em algumas das maiores fusões, ofertas públicas iniciais de ações (IPOs) e transações envolvendo empresas de cheque em branco (SPACs).

 

Mais Recentes da CNN