Maia diz que reforma tributária deve ser colocada em votação ainda em 2020

Presidente da Câmara dos Deputados cumpre agenda desta sexta-feira (10) em São Paulo

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ) disse nesta sexta-feira (11) que a reforma tributária deve ser colocada em votação ainda neste ano no Congresso Nacional.

A declaração foi feita a jornalistas na saída do almoço que teve com representantes da maior organização de apoio a empreendedorismo e empreendedores de alto impacto – a Endeavor Brasil. Maia cumpre agenda em São Paulo hoje.

De acordo com o presidente da Câmara, a reforma é uma oportunidade para que investimentos sejam trazidos para o país.

“Nós estamos agora afunilando, discutindo. Nós estamos também avançando na questão do texto, do relator, para que baseado no texto, a gente possa de forma concreta discutir a aprovação na comissão e depois no plenário”, falou.

Maia também disse que a PEC emergencial que está no Senado é a prioridade.

Assista e leia também:

‘Nas minhas redes, 82% querem auxílio de R$ 600’, diz Rodrigo Maia

Por que o arroz está tão caro? Saiba os motivos da alta do preço da cesta básica

“É a prioridade do Brasil. E, claro, que a tributária vem logo em seguida, mas vai ter impacto importante no crescimento do país nos próximos anos”, disse.

O presidente da Câmara falou ainda sobre outros assuntos referentes ao país, entre eles o auxílio emergencial. Maia foi questionado pelos jornalistas se ainda há terreno para uma discussão de retomada do pagamento de R$ 600, defendida por ele, mas respondeu que é uma página virada.

Por fim, o deputado falou sobre o aumento no preço de alimentos, como arroz, feijão, leite e óleo de soja.

Segundo ele, as medidas de curto prazo do governo para conter essa alta, como o uso de tarifa zero para importação do arroz, são muito bem-vindas. No entanto, Maia criticou as possíveis medidas de corte e congelamento de preços. Disse que é muito perigoso, e que pode gerar um “desastre” para a economia do país.

 

Mais Recentes da CNN