Com 8% de participação na Petrobras, BNDES perdeu quase R$ 6 bilhões na 2ª feira

Banco de investimentos possui uma fatia de 8% na estatal de petróleo; JBS é a segunda empresa na carteira de investimentos do banco

Foto: Sergio Moraes/Reuters

Tamires Vitorio,

do CNN Brasil Business, em São Paulo

Ouvir notícia

A Petrobras é a companhia que o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) tem a maior participação em valor de mercado, com um total de R$ 31,2 bilhões. Logo, o banco estatal foi um dos acionistas que mais sofreram com o pregão de segunda-feira (22).

Segundo levantamento realizado pela consultoria Economatica, o BNDES possui 8,07% de participação na Petrobras. Em valores, até o início da semana, esse percentual representava uma quantia de cerca de R$ 28,4 bilhões. Porém após o pregão da segunda-feira e as ações da Petrobras caírem mais de 20%, o banco viu o seu investimento se desvalorizar R$ 5,8 bilhões. Ou seja, o próprio governo fez o investimento do governo se desvalorizar. 

Para relembrar, a estatal de petróleo, que passa por uma forte crise por causa das interferências do presidente Jair Bolsonaro, sofreu a sua segunda maior queda em valor de mercado na tarde da última segunda-feira (22). O valor de mercado da Petrobras caiu para R$ 282,19 bilhões — mas busca uma retomada, mesmo que parcial, no pregão desta terça-feira (23). 

O BNDES, desde 2017, vem se desfazendo das suas ações na Petrobras, de acordo com a Economatica. Há quatro anos, o banco tinha 16,6% da companhia, caiu para 15,03% no ano seguinte e chegou a 13,9% em 2019. Até, enfim, alcançar os 8,07% de 2020.   

Carteira do BNDES

De acordo com o levantamento, ao fim de 2020, o BNDES tinha 16 empresas em sua carteira de investimentos. A maior participação percentual era da metalúrgica Tupy (28,19%) e a segunda foi na companhia de energia Copel (23,96%). Já a Petrobras, que em 2017, ocupava 16,59% da carteira do BNDES, caiu para 8,07% no ano passado.

Mas a redução dos investimentos não foi exclusiva na Petrobras. O BNDES também diminuiu sua participação na AES Tietê Energia de 28,33% em 2019 para apenas 9,91% em 2020, após vender boa parte de sua participação na companhia para a americana AES Corp.

A carteira do BNDES também ficou menor ao longo dos anos. Entre 2010 e 2012, 35 empresas de capital aberto tinham participação registrada no banco. O maior registro de queda de participação ocorreu entre os anos de 2018 e 2019, quando o número de empresas foi de 24 para 18. 

Com as vendas de ativos do BNDES em 2020 e também com a crise causa pela pandemia da Covid-19, o banco viu a sua carteira de investimentos diminuir em quase 44,5%.O valor que  em 2019 era de R$ 114,8 bilhões, com 18 empresas na carteira, chegou na casa dos R$ 63,8 bilhões no ano passado. 

A redução da participação do BNDES está diretamente ligada ao número das companhias que a empresa tinha em sua carteira nos últimos anos.

Nos últimos anos, o banco vendeu toda a participação que tinha em empresas como a mineradora Vale, a produtora de papel e celulose Suzano e a empresa de energia elétrica Light.

As ações da Vale, por exemplo, terminaram de ser vendidas na manhã desta terça-feira. A única participação do banco de desenvolvimento na mineradora, agora, é por meio de títulos que surgiram com a privatização da companhia. 

Mais Recentes da CNN