Maioria das Bolsas da Europa fecha em alta, com indicadores mistos

Índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em alta de 0,70%, aos 460,39 pontos

Avanço anual acima do previsto das exportações da China em setembro deu fôlego ao sentimento por risco de operadores na Europa nesta quarta
Avanço anual acima do previsto das exportações da China em setembro deu fôlego ao sentimento por risco de operadores na Europa nesta quarta 25/02/2020REUTERS/Flavio Lo Scalzo

Gabriel Caldeira*, do Estadão Conteúdo

Ouvir notícia

As bolsas europeias fecharam na maioria em alta nesta quarta-feira (13). Investidores pesaram dados positivos da economia da China, além de indicadores mistos de economias do Velho Continente.

A maior parte dos índices sustentou avanços mesmo com o fraco desempenho dos bancos europeus nesta quarta, em meio ao avanço da inflação nos EUA em setembro.

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em alta de 0,70%, aos 460,39 pontos.

O avanço anual acima do previsto das exportações da China em setembro deu fôlego ao sentimento por risco de operadores na Europa nesta quarta.

Segundo a Administração Geral Aduaneira do país, o superávit da balança comercial chinesa foi de US$ 66,76 bilhões no mês, o que também superou a estimativa do mercado.

A temporada de balanços corporativos também impulsionou os índices, após bons resultados de empresas como a alemã SAP (+3,90%) e a francesa Louis Vuitton (+3,16%).

No cenário doméstico, a produção industrial da zona do euro recuou 1,6% entre julho e agosto, 0,1 ponto porcentual a menos que o esperado, devido aos gargalos na cadeia produtiva, que podem piorar diante da crise energética no Velho Continente, de acordo com a Pantheon Macroeconomics. Já o desempenho da manufatura britânica superou as estimativas ao avançar 0,8% no mesmo período.

Em Londres, o índice FTSE 100 subiu 0,16%, aos 7.141,82 pontos.

Na Alemanha, o índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) teve alta anual de 4,1% em setembro, de acordo com a previsão do mercado. O resultado representou o maior avanço da inflação ao consumidor alemão desde 1983.

Mesmo assim, o índice DAX, da Bolsa de Frankfurt, fechou com ganhos de 0,68%, aos 15.249,38 pontos.

Investidores também ficaram atentos ao avanço de 0,4% do CPI americano no mês passado ante agosto, acima da projeção do mercado.

Os juros dos Treasuries passaram a cair após o dado, o que explica as fortes quedas em ações do setor financeiro europeu nesta quarta, segundo o analista Luigi Pedone, da Equita Sim. De acordo com ele, o mercado parece estar precificando um cenário menos favorável aos bancos.

Entre os destaques negativos, o Deutsche Bank recuou 4,27% em Frankfurt, o Standard Chartered teve baixa de 2,73% em Londres, e o BNP Paribas caiu 1,45% em Paris, cujo índice CAC 40 fechou em alta de 0,75%, aos 6.597,38 pontos. Já o índice PSI 20, da Bolsa de Lisboa, acumulou ganhos de 0,56%, aos 5.593,36 pontos.

Contrariando o movimento geral, os índices FTSE MIB, de Milão, e IBEX 35, de Madri, recuaram 0,12%, aos 25.958,69 pontos, e 0,59%, aos 8.883,50 pontos, respectivamente. O setor financeiro puxou os recuos, em especial na Espanha, onde o Banco de Sabadell teve baixa de 7,06%.

*Com informações de Dow Jones Newswires

Mais Recentes da CNN