Mercado brasileiro reage à aprovação do Orçamento federal para 2022

Aprovação do Orçamento para 2022 pelo Congresso Nacional e intervenções do Banco Central para controlar o dólar são destaques do cenário econômico desta quarta-feira (22)

Thais Herédiada CNN

Em São Paulo

Ouvir notícia

O anúncio de medidas de reforço anunciado pelo presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, acalmou os mercados. Na Ásia, a maioria das bolsas fechou em alta e na Europa todas sobem, agecom exceção da bolsa da Inglaterra.

O Reino Unido cresceu 1,1% no terceiro trimestre, um pouco menos que o esperado. A sensibilidade do mercado está alta e qualquer frustração com a atividade econômica tem afetado os investidores.

O crescimento britânico deve ser prejudicado no último trimestre do ano por conta da variante Ômicron e das novas medidas de restrição adotadas para conter o contágio.

Brasil

O Congresso Nacional aprovou o Orçamento público para o ano de 2022. A PEC dos Precatórios, que permitiu romper o teto de gastos e o atraso no pagamento das dívidas, liberou mais de R$ 110 bilhões em gastos livres de regras fiscais. O valor exato depende do resultado final da inflação de 2021, que sai em janeiro.

Deputados e senadores garantiram R$ 4,9 bilhões para o fundo eleitoral, R$ 1,7 bilhões para aumento de salário de policiais e R$ 16,5 bilhões para o chamado “orçamento secreto”, via emendas de relator.

Associações de servidores públicos já começaram a se posicionar e é possível que ocorram protestos das categorias que não foram contempladas com aumento de salários.

No mercado de câmbio, investidores começam a prestar mais atenção nas intervenções do Banco Central (BC). No mês de dezembro, o BC vendeu quase US$ 4 bilhões de dólares, a maior parte à vista, com a escalada da cotação.

O dólar segue acima dos R$ 5,70, um patamar elevado, mesmo levando em conta a maior pressão de demanda no último mês do ano.

Nesta quarta-feira (22) ocorre venda de swap cambial para o overhedge, que o BC tem feito todas às segundas e quartas.

Agenda do Dia

A agenda do dia conta com muitos dados econômicos dos Estados Unidos. Teremos o PIB do terceiro trimestre do país, com previsão de alta de 2,1%. Índice de inflação de consumo pessoal, o PCE. Além da divulgação feita pelo FED (Federal Reserve System) de Chicago sobre a atividade nacional de novembro e a confiança do consumidor em dezembro.

No Brasil, repercute a aprovação do Orçamento. O Banco Central publica contas externas de novembro e maior previsão de déficit na conta corrente após o saldo negativo da balança comercial no mês. O resultado deve fechar com déficit de U$ 6,7 bilhões de dólares.

Mais Recentes da CNN