Mercado opera de olho em IPCA acima do esperado no Brasil e aguarda dado dos EUA

Divulgação do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) no Brasil e expectativa para o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) nos EUA movimentam expectativa dos mercados

Priscila Yazbekda CNN

Em São Paulo

Ouvir notícia

Os mercados operam nesta terça-feira (11) de olho em dados de inflação no Brasil e no exterior.

Começando pelo cenário internacional, desde a ata do Federal Reserve (Fed), o mercado vem reagindo com baixas à perspectiva de juros maiores e menos estímulos na economia dos Estados Unidos, a maior do mundo.

Agora as atenções se voltam ao dado de inflação do Índice de Preços ao Consumidor (CPI) dos EUA, que será divulgado na quarta (12). A previsão é de uma inflação de 7% no ano contra ano. O dado vai mostrar se o Fed ficou atrás da curva, ou seja, se demorou a agir para conter a inflação.

Hoje o mercado monitora também o discurso de Jerome Powell, presidente do Fed, que pode trazer mais indicações sobre o rumo de juros e estímulos no país.

Ações de tecnologia têm sido as mais afetadas pela alta dos juros, mas investidores, buscando pechinchas, evitaram uma quinta perda seguida do Nasdaq, e a bolsa tecnológica fechou na maior recuperação diária desde março de 2020.

A recuperação das Techs nos Estados Unidos impulsiona os índices europeus, que sobem nesta manhã. Já na Ásia, bolsas caíram, refletindo a cautela no exterior e com avanço da variante Ômicron da Covid-19.

Brasil

Vindo para o Brasil, o destaque é o resultado da inflação de 2021. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) subiu 10,06% no ano passado. Com isso, a inflação fecha 2021 na maior alta anual desde 2015. Em dezembro, o índice subiu 0,73%, acima do esperado pelo mercado que esperava avanço de 0,65%.

Destaque também para mineradoras e siderúrgicas, que paralisaram produções por causa das chuvas em Minas Gerais. Ações da Vale caíram, também puxadas pela queda do preço do minério de ferro, com o avanço da Covid-19 na China. Já as siderúrgicas subiram. O minério é matéria-prima do aço, então quando cai, barateia a produção.

Gilberto Cardoso, especialista em commodities da OhmResearch, disse que, por enquanto, as chuvas não afetam tanto as ações, porque são vistas como um problema temporário. No entanto, se a situação se arrastar e prejudicar a oferta de minério, as ações podem sofrer mais.

O Ibovespa Futuro cai 0,15% pela manhã, a 102.955 pontos, com o dólar caindo 0,31%, a R$ 5,65, O S&P 500 Futuro, pelo contrário, sobe 0,35%, com 4.686 pontos.

Agenda do Dia

No Brasil, o destaque é a inflação, que foi divulgada agora pela manhã. No exterior, destaque para o discurso de Jerome Powell e outros membros do Fed, às 12h. No fim do dia, saem os estoques de petróleo da API.

Mais Recentes da CNN