Mercado opera de olho em juros nos EUA, prévia do PIB e PEC dos Precatórios

No Brasil, prévia do PIB e nova votação da PEC dos Precatórios ficam no radar

Bolsa de Valores de Paris, no distrito financeiro de La Defense
Bolsa de Valores de Paris, no distrito financeiro de La Defense Reuters

Priscila Yazbekda CNN

Em São Paulo

Ouvir notícia

As atenções do mercado se voltam para a tão esperada decisão do Fomc, o Comitê de Política Monetária americano, que deve sair às 16h.

A definição sobre a retirada de estímulos e juros deve dar o tom do mercado em 2022. A expectativa é que o Fomc seja mais duro, já que os últimos dados de emprego vieram fortes, e a inflação segue pressionada.

Para citar alguns dados, os Estados Unidos tinham 11 milhões de vagas de emprego abertas em outubro, uma vaga e meia por cada desempregado.

Nesta terça-feira (14), saíram os dados de preços ao produtor, que subiram 9,6% no ano contra ano, maior avanço da série histórica. Os dados sugerem que a economia não precisa mais de estímulos e que esses estímulos estão pressionando os preços.

Em mais um sinal de que o mundo está mais inclinado a entrar numa fase de juros maiores, no Chile, o Banco Central já deu a partida e elevou a taxa de juros de 2,75% para 4%.

Indo para a Ásia, as bolsas caíram em sua maioria, com dados piores que o esperado na China.

Na Europa, as bolsas tentam se recuperar depois de dois dias de queda, mas com Londres em queda, após dados de inflação acima do esperado.

Brasil

No Brasil, além dos juros americanos, os investidores devem repercutir a prévia do PIB de outubro e os resultados da PEC dos Precatórios.

A prévia do PIB, o IBC-BR do Banco Central, que mostrou que a economia caiu 0,4% no mês de outubro, um pouco abaixo das expectativas do mercado, que previa queda de 0,2%, segundo a Refinitiv. Em 12 meses, a economia registra alta de 4,9%.

O dado divulgado pelo Banco Central reforça que a economia abre o quarto trimestre com a atividade fraca, junto com dados negativos de indústria, comércio e serviços no mês. O dado também eleva as apostas de estagnação ou queda do PIB no último trimestre de 2021.

Na política, a Câmara dos Deputados aprovou, em primeiro turno, a segunda parte da PEC dos Precatórios, que abre um espaço fiscal de R$ 106,1 bilhões para aumento de gastos em 2022.

Com isso, o governo poderá pagar o Auxílio Brasil no valor de R$ 400 e ainda demandas de parlamentares.

O texto segue para votação em segundo turno, em sessão convocada para às 10h desta quarta-feira (15).

Entre os destaques, os deputados aprovaram o limite de pagamento de precatórios até 2026, e não até 2036, e a vinculação do espaço aberto no teto para o Auxílio Brasil e despesas previdenciárias. A expectativa é de que a PEC seja aprovada, sem necessidade de nova votação no senado.

Ainda no cenário político, o presidente Jair Bolsonaro (PL) e o ministro da economia, Paulo Guedes, negociam um reajuste de salários de R$ 11,1 bilhões nos próximos 3 anos, para a categoria de policiais federais.

O índice Ibovespa opera nesta manhã em alta de 0,33%, a 108.500 pontos, com o dólar em queda de 0,36% a R$ 5,67. O S&P Futuro sobe 0,09%, a 4.638 pontos.

Agenda do Dia

Além da divulgação dos dados do IBC-BR, começa hoje a quarta fase do Open Banking. A análise por parte do Tribunal de Contas da União (TCU) da privatização da Eletrobras também está na pauta, e pode ocorrer às 10h.

No exterior, além do Fomc nos Estados Unidos, serão divulgados os índices de atividade, os PMIs na Austrália e no Japão, às 21h.

Mais Recentes da CNN