Dólar fecha a R$ 5,66, maior valor em quatro meses; Ibovespa sobe 1,09%

Preocupação dos investidores é que a isenção dos impostos sobre os combustíveis gere uma consequente alta em outros tributos

Painel financeiro na sede da Bolsa de Valores de São Paulo
Painel financeiro na sede da Bolsa de Valores de São Paulo Foto: Bruno Rocha/Estadão Conteúdo

Matheus Prado,

do CNN Brasil Business, em São Paulo*

Ouvir notícia

Com o avanço da PEC Emergencial no Congresso, o dólar, que chegou a superar R$ 5,70 nesta terça-feira (2), reduziu o ritmo de alta. Ainda assim, o desempenho do dia foi o suficiente para elevar a moeda ao seu maior valor de fechamento em quase quatro meses. 

A divisa americana encerrou a sessão em alta de 1,15%, vendida a R$ 5,666. É o maior valor desde 3 de novembro, quando o dólar encerrou o dia valendo R$ 5,761.

Já o Ibovespa, que abriu em queda, inverteu o movimento e passou a subir. O pincipal índice da bolsa fechou em alta de 1,09% para 111.540 pontos. 

Isso porque foram deixados os gatilhos e contrapartidas no texto que será votado na quarta-feira (3).

Mais cedo, o ministro Paulo Guedes disse que as novas parcelas do novo auxílio emergencial serão de R$ 250, mas que virão com contrapartidas. Ele, no entanto, disse, em um podcast ao youtuber conhecido como Primo Rico, ser contra cortar os gastos mínimos que são aplicados em educação e saúde.

Também está no radar dos investidores a isenção dos impostos sobre combustíveis e sua consequente alta em outros tributos, a exemplo da Contribuição Social sobre Lucro Liquido (CSLL), de instituições financeiras como os bancos.

O presidente Jair Bolsonaro disse que a suspensão da cobrança do PIS/Cofins por dois meses sobre o diesel tem como objetivo dar tempo ao governo para estudar uma desoneração definitiva.

“O que acontece: quando você zera imposto, pela Lei de Responsabilidade Fiscal tem que arranjar recurso em outro lugar. Então fizemos um limite, esses dois meses é um prazo para a gente estudar, para a gente ver como, de forma definitiva, a gente vai zerar os impostos federais”, afirmou.

Lá fora

O principal índice de ações da Europa subiu nesta terça-feira, uma vez que um alívio no mercado de títulos deu às ações algum espaço para respiro.

O índice FTSEurofirst 300 subiu 0,21%, a 1.591 pontos, enquanto o índice pan-europeu STOXX 600 ganhou 0,19%, a 413 pontos, depois de marcar seu melhor dia em quase quatro meses na segunda-feira.

As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em baixa nesta terça-feira (2), num possível movimento de realização de lucros, após reagirem com entusiasmo ao noticiário recente dos EUA no pregão anterior.

O índice acionário japonês Nikkei caiu 0,86% em Tóquio hoje, a 29.408,17 pontos, enquanto o Hang Seng recuou 1,21% em Hong Kong, a 29.095,86 pontos, e o Taiex ficou praticamente estável, com perda marginal de 0,04%, a 15.946,88 pontos, no retorno de um feriado em Taiwan.

O sul-coreano Kospi também voltou de um feriado, mas com alta de 1,03%, levando a Bolsa de Seul a 3.043,87 pontos.

Na China continental, o Xangai Composto se desvalorizou 1,21% nesta terça, a 3.508,59 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto teve perda de 0,70%, a 2.332,76 pontos.

Na segunda-feira, os mercados asiáticos tiveram ganhos robustos, após a aprovação no fim de semana de um pacote fiscal trilionário na Câmara dos Representantes dos EUA e do aval concedido à vacina contra Covid-19 da Johnson & Johnson para começar a ser aplicada no país.

Na Oceania, a bolsa australiana também ficou no vermelho hoje, e o S&P/ASX 200 caiu 0,40% em Sydney, a 6.762,30 pontos. Nesta madrugada, o RBA, como é conhecido o BC da Austrália, decidiu manter seu juro básico na mínima histórica de 0,10%, mas disse que poderá estender seu programa de compras de ativos. 

(*Com informações da Reuters)

Mais Recentes da CNN