Ibovespa reverte perda semanal com bom humor externo; dólar fecha acima dos R$ 5

Em Wall Street, S&P 500 e Nasdaq voltaram a bater recordes após dados de emprego fortes

Foto: CNN

Leonardo Guimarães,

do CNN Brasil Business, em São Paulo*

Ouvir notícia

Depois de forte alta na sessão anterior, o dólar abriu em queda ante o real nesta sexta-feira (2). No fechamento da sessão, no entanto, a divisa era negociada a R$ 5,0569 – avanço de 0,15%. 

Já o Ibovespa fechou em alta de 1,5% nesta sexta-feira, recuperando o patamar dos 127.570 pontos com o endosso de Wall Street e dados sobre o mercado de trabalho norte-americano, praticamente zerando as perdas na semana. 

Os Estados Unidos criaram 850 mil vagas de trabalho em junho, resultado muito acima dos 720 mil novos postos que o mercado esperava. O anúncio animou o mercado na sessão de hoje. 

O movimento de correção do dólar não acompanhou o dia positivo porque os dados sobre a produção industrial de maio vieram um pouco abaixo do esperado pelo mercado.

A indústria brasileira produziu, em maio, 1,4% a mais do volume de abril. Na comparação com maio do ano passado, o crescimento foi de 29%. O mercado esperava crescimento de 1,5% na comparação mensal e 29,9% na anual.

“Muitos indicadores de expectativas empresariais estão melhorando na esteira da vacinação e muito provavelmente a produção industrial em junho deve vir positiva”, afirma André Perfeito, economista-chefe da Necton.

Investidores também ficaram ligados em Brasília, onde o noticiário político continua conturbado e tem impactado o preço do dólar e das ações. 

Lá fora 

Os índices S&P 500 e Nasdaq atingiram novas máximas, com o S&P fechando em alta pelo sétimo dia consecutivo, após o relatório de empregos de junho dos Estados Unidos mostrar níveis robustos de contratação, mas fraquezas ainda persistentes no mercado de trabalho, o que seguirá evitando que o Federal Reserve eleve juros em breve.

De acordo com dados preliminares, o Dow Jones fechou em alta de 0,45%, a 34.787,93 pontos, enquanto o S&P 500 subiu 0,75%, a 4.352,45 pontos, e o Nasdaq avançou 0,81%, a 14.639,33 pontos.

O índice de blue-chips da China fechou com queda de quase 3% nesta sexta-feira para marcar seu pior dia em quase quatro meses, uma vez que investidores descartaram ações de forma generalizada por preocupações com o crescimento, um dia depois de o Partido Comunista chinês celebrar seu centenário.

O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, caiu 2,84%, enquanto o índice de Xangai teve queda de 1,95%. Ambos os índices tiveram a maior queda percentual em um dia desde o começo de março.

“O mercado está buscando sinais mais claros antes de se tornar mais ‘bullish’, dados contratempos de crescimento macro e incertezas sobre a recuperação dos balanços antes da próxima temporada de resultados”, disse o Morgan Stanley em nota.

O banco disse que reduziu sua previsão para a expansão econômica da China no segundo trimestre devido a uma fraqueza macro generalizada vista entre abril e junho.

*Com informações de Reuters e Estadão Conteúdo

Mais Recentes da CNN