Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Dólar fecha a R$ 5,68, maior valor em 4 meses; bolsa sobe 2,2%

    Há receio de que a alta nos títulos do Tesouro dos EUA faça investidores colocarem recursos que estão na bolsa no mercado de títulos

    Foto: Reuters/Lee Jae-Won

    Leonardo Guimarães,

    do CNN Brasil Business, em São Paulo*

    Ouvir notícia

    O dólar encerrou esta sexta-feira (5) em alta de 0,4%, cotado a R$ 5,684 na venda. É a maior cotação para a moeda em quatro meses, desde 3 de novembro, quando fechou valendo R$ 5,76.

    Na semana, a cotação apreciou 1,45%. Em três semanas seguidas de alta, o dólar se fortaleceu 5,77%.

    Na B3, a sessão começou com viés otimista e a alta se ampliou ao longo do dia. O Ibovespa encerrou o dia em alta de 2,23%, a 115.202,23 pontos. Na semana, a alta foi de 4,7%. 

    Na sessão de hoje o mercado financeiro continua de olho no rendimento dos títulos do Tesouro dos EUA, que apresentam alta depois que o presidente do Fed (Federal Reserve, o Banco Central dos EUA), Jerome Powell disse que uma reabertura econômica poderia criar “alguma pressão de alta dos preços”. 

    Há receio de que a alta de títulos do Tesouro dos EUA faça investidores colocarem recursos que estão na bolsa no mercado de títulos. 

    Além disso, investidores receberam bem os dados melhores do que o esperado sobre o mercado de trabalho dos Estados Unidos.

    No cenário nacional, continua reverberando a aprovação da PEC Emergencial no Senado. A votação de segundo turno aconteceu nesta quinta (4) e inclui dispositivo que limita em R$ 44 bilhões os gastos com o novo auxílio emergencial. 

    Agora, a PEC segue para a Câmara dos Deputados, que deve analisá-la até a próxima quarta-feira. 

    Os resultados da produção industrial brasileira em janeiro vieram exatamente iguais às medianas das projeções do mercado e ficam em segundo plano no câmbio. 

    A produção industrial brasileira registrou alta de 0,4% em janeiro na comparação com o mês anterior,

    Na comparação com o mesmo mês do ano anterior, a produção subiu 2%. As expectativas em pesquisa da Reuters com economistas eram de alta de 0,4% na variação mensal e de 2,2% na base anual.

    Lá fora 

    Wall Street terminou em forte alta após uma volátil sessão nesta sexta-feira. O índice Dow Jones subiu 1,85%, a 31.496 pontos, enquanto o S&P 500 ganhou 1,949598%, a 3.842 pontos. O índice de tecnologia Nasdaq avançou 1,55%, a 12.920 pontos.

    Os mercados acionários europeus fecharam em queda nesta sexta-feira, também em movimento oposto à alta nos rendimentos dos títulos norte-americanos. O STOXX 600 recuou 0,8% na sessão.

    As ações de blue-chips da China fecharam ligeiramente em baixa nesta sexta-feira, com os investidores digerindo a modesta meta de crescimento anual definida no relatório de trabalho do premiê chinês, embora as ações de tecnologia tenham se recuperado depois de um compromisso mais forte de apoiar a tecnologia doméstica.

    O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, recuou 0,34%, enquanto o índice de Xangai teve baixa de 0,04%.

    O primeiro-ministro chinês, Li Keqiang, revelou uma meta modesta de crescimento econômico acima de 6% para o país este ano em seu relatório de trabalho, abaixo do consenso dos analistas, com a economia emergindo de um ano abalado pelos efeitos da Covid-19.

    As empresas de tecnologia apresentaram desempenho superior depois que o relatório de trabalho disse que a China aumentará seus gastos anuais com pesquisa e desenvolvimento em mais de 7% ao ano nos próximos cinco anos.

    *Com informações da Reuters

     

    Mais Recentes da CNN