Dólar cai 2% e Ibovespa tem forte alta após aprovação da PEC Emergencial

O progresso na agenda fiscal do governo ameniza temores sobre a sustentabilidade da dívida pública

Moeda americana cede ante real em semana de otimismo nos mercados internacionais (26.mar.2015)
Moeda americana cede ante real em semana de otimismo nos mercados internacionais (26.mar.2015) Foto: Gary Cameron/Reuters

Matheus Prado e Leonardo Guimarães,

do CNN Brasil Business, em São Paulo*

Ouvir notícia

O dólar à vista caiu 2,00%, a R$ 5,5412 na venda, depois de recuar 2,26%, a R$ 5,5265. Na máxima, a cotação foi a R$ 5,6221, ainda queda de 0,57%.

Já o Ibovespa fechou em forte alta com a aprovação da PEC Emergencial no radar. O índice avançou 1,96%, aos 113.983 pontos. 

O mercado olha para a Câmara dos Deputados, que aprovou em segundo turno a PEC Emergencial. A medida destrava R$ 44 bilhões para o novo auxílio emergencial. 

No Twitter, o presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL), disse ser importante a conclusão da votação para a Casa avançar em outros assuntos e citou as reformas administrativa e tributária. “A expectativa é que o relatório da reforma tributária seja apresentado já na próxima semana”, disse Lira.

O progresso na agenda fiscal do governo ameniza temores sobre a sustentabilidade da dívida pública, ajudando a reduzir o prêmio de risco embutido nos ativos brasileiros.

Os investidores locais também reagiam ao resultado do IPCA em fevereiro. O índice que mede a inflação no país saltou 0,86% em fevereiro, valor superior aos 0,70% esperado pelo mercado.

Intervenções do Banco Central, que injetaram mais de US$ 1,4 bi no mercado, ajudavam a controlar a escalada da divisa. O dinheiro americano também recuava em termos globais por conta de uma diminuição da expectativa de inlfação nos EUA.

Lá fora

Os índices S&P 500 e Dow Jones atingiram máximas recordes nesta quinta-feira, com as preocupações em torno do aumento da inflação diminuindo, enquanto uma queda maior do que a esperada nos pedidos semanais de auxílio-desemprego e a sanção de um robusto projeto de lei de estímulo reforçaram expectativas de uma forte recuperação.

O índice Dow Jones teve alta de 0,58%, aos 32.485,59 pontos, o S&P 500 valorizou-se 1,01%, aos 3.938 pontos (indo a 3.960 pontos no pico intradiário), e o Nasdaq avançou 2,52%, aos 13.398 pontos.

Ações de empresas de grande capitalização, como Microsoft Corp, Apple Inc, Facebook Inc e Amazon.com Inc, lideraram o rali, recuperando perdas recentes e ajudando o índice S&P 500 a ultrapassar sua máxima de 16 de fevereiro, de 3.950,43 pontos.

As bolsas asiáticas fecharam em alta nesta quinta-feira (11), à medida que dados de preços dos EUA aliviaram temores de pressões inflacionárias e o Congresso americano concluiu a aprovação do pacote fiscal trilionário proposto por Washington.

O índice acionário japonês Nikkei subiu 0,60% em Tóquio hoje, a 29.211,64 pontos, enquanto o Hang Seng avançou 1,65% em Hong Kong, a 29.385,61 pontos, o sul-coreano Kospi se valorizou 1,88% em Seul, a 3.013,70 pontos, interrompendo uma sequência de cinco pregões negativos, e o Taiex registrou ganho de 1,68% em Taiwan, a 16.179,56 pontos.

Na China continental, o Xangai Composto avançou 2,36%, a 3.436,83 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto teve alta idêntica, de 2,36%, a 2.216,48 pontos.

Ontem, os últimos números de preços ao consumidor dos EUA mostraram que a inflação da maior economia do mundo está sob controle, amenizando preocupações de que um salto inflacionário pudesse levar o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) a apertar sua política monetária antes do esperado.

Como resultado, a maioria das bolsas de Nova York fechou em alta nos negócios de quarta-feira e os juros dos Treasuries – que vinham numa tendência de alta alimentada por expectativas de inflação – caíram.

Além disso, a Câmara dos Representantes dos EUA deu seu segundo aval ontem ao pacote fiscal de US$ 1,9 trilhão defendido pelo presidente Joe Biden para combater os efeitos da pandemia de Covid-19, concluindo a tramitação do assunto no Congresso. Espera-se que Biden assine a legislação amanhã (12).

Na Oceania, a bolsa australiana contrariou o tom positivo da Ásia e terminou o dia estável, com o índice S&P/ASX 200 em 6.713,90 pontos, após um pregão marcado por volatilidade.

*Com informações de Reuters e Estadão Conteúdo

Mais Recentes da CNN