Ibovespa fecha em alta com avanço do petróleo e exterior positivo; dólar cai

Preço da commodity subiu mais de 4% e alavancou ações da Petrobras e da PetroRio

Foto: CNN

Matheus Prado e Leonardo Guimarães,

do CNN Brasil Business, em São Paulo*

Ouvir notícia

O dólar voltou a registrar uma sessão instável nesta quarta-feira (21), mas ao término dos negócios firmou queda e fechou abaixo de R$ 5,20, com investidores descontando na moeda a volta do apetite por risco no exterior, mas sem tirar do radar o noticiário de Brasília, com foco no fundo eleitoral.

Com isso, o dólar caiu 0,73%, para R$ 5,1927. A moeda oscilou de R$ 5,279 (+0,92%) a R$ 5,1811 (-0,95%).

Na B3, o Ibovespa teve uma sessão positiva, ajudado pela cotação do petróleo e otimismo em Wall Street. O índice avançou 0,42%, para 125.929 pontos. 

Os preços do petróleo subiram mais de 4%, estendendo os ganhos da sessão anterior e alavancando as ações ligadas à commoditie. Petrobras (PETR3) subiu 1,61% e PetroRio (PRIO3) tinha valorização de 1,06%. 

As ações do IRB (IRBR3) dispararam 8,5% após dados mostrando lucro líquido de R$ 7,5 milhões em maio, revertendo prejuízo de R$ 202,1 milhões verificado um ano antes.

No plano local, as atenções dos agentes financeiros se voltam para possíveis “arranhões” nas relações entre Executivo e centrão em torno do fundo eleitoral, com potenciais riscos ao andamento da agenda de reformas.

Na terça, o presidente Jair Bolsonaro reforçou que vai vetar o novo fundo partidário de R$ 5,7 bilhões, destacando a “harmonia entre os Poderes” e o “respeito ao povo brasileiro”.

No que foi citado já como articulação para manter as bases no Congresso, Bolsonaro disse durante entrevista a uma rádio nesta quarta-feira que deve fazer novas mudanças em seu ministério na próxima semana.

O mercado internacional passou a olhar com mais atenção para a temporada de balanços nos EUA que, até aqui, tem acumulado resultados positivos e reforça o sentimento de recuperação econômica.

Lá fora

Wall Street engatou a segunda alta consecutiva nesta quarta-feira, com balanços corporativos robustos e um otimismo renovado com a recuperação econômica dos Estados Unidos alimentando o apetite de investidores por risco.

O Dow Jones fechou em alta de 0,83%, a 34.798 pontos, enquanto o S&P 500 subiu 0,82%, a 4.358 pontos, e o Nasdaq avançou 0,92%, a 14.631 pontos.

Já as bolsas da Ásia fecharam mistas após um pregão de recuperação de perdas em Nova York na terça. Hoje, os índices futuros das bolsas nova-iorquinas e os principais índices acionários da Europa operam com ganhos, mas alguns mercados asiáticos ainda sofrem impacto do temor de que a variante delta do coronavírus possa prejudicar a retomada da economia no mundo.

Na China continental, o índice Xangai Composto subiu 0,7%, a 3.562,66 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto avançou 1,5%, a 2.492,54 pontos. As bolsas chinesas foram impulsionadas, principalmente por ações de montadores e empresas relacionadas a energias renováveis.

Em outras partes da Ásia, o Nikkei subiu 0,6% no Japão, a 27.548,00 pontos. Com o começo das Olimpíadas de Tóquio, o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom, disse que é impossível eliminar o risco da Covid-19 durante as competições.

 Também no Japão, as exportações cresceram 48,6% em junho na comparação anual, acima do esperado por economistas consultados pelo Wall Street Journal.

Na avaliação do analista-chefe de mercado da CMC Markets, Michael Hewson, as bolsas asiáticas, em geral, registraram uma recuperação “decente” hoje. Para profissionais do Danske Bank, o sentimento nos mercados ainda se mantém “misto”.

Em Hong Kong, o Hang Seng recuou 0,1%, a 27.224,58 pontos, e o Kospi teve baixa de 0,5% em Seul, a 3.215,91 pontos, pressionado para baixo por ações do setor de tecnologia.

Na Oceania, a bolsa da Austrália subiu mesmo em meio ao lockdown no país para conter a piora da pandemia de Covid-19. O S&P/ASX 200 registrou alta hoje de 0,8% em Sydney, a 7.308,70 pontos. 

*Com informações de Reuters e Estadão Conteúdo

Mais Recentes da CNN