Mesmo após duas intervenções do BC, dólar renova máxima e alcança os R$ 4,65

Banco Central já injetou US$ 2 bilhões no mercado para conter valorização da moeda americana

Anna Russi

Da CNN Brasil, em Brasília

Ouvir notícia

Os dois leilões extraordinários de swaps cambiais realizados pelo Banco Central (BC) nesta quinta-feira, não foram capazes de segurar a alta da moeda norte-americana, que às 12h45 renovou a máxima atingindo os R$ 4,65, com alta de 1,55%. 

Na tarde da quarta-feira (4), o BC já havia anunciado um leilão de 20 mil contratos de cambial para hoje. Ao longo da manhã, com o dólar passando para o patamar dos R$ 4,60, a autoridade monetária anunciou novo leilão de 20 mil contratos. Assim, foram injetados um total de US$ 2 bilhões no mercado. 

Os leilões de swaps cambiais são o principal mecanismo do Banco Central para reduzir a pressão sobre a alta do dólar de forma a garantir o preço de venda da moeda no mercado futuro. De forma prática, o BC oferece um contrato de venda de dólares, com data de encerramento definida, mas não entrega a moeda norte-americana.

No vencimento destes contratos, o investidor se compromete a pagar uma taxa de juros sobre o valor deles e recebe do BC a variação do dólar naquele período. A ferramenta permite uma maior proteção aos agentes que têm dívidas na moeda estrangeira.

Tópicos

Mais Recentes da CNN