Micro e pequenas indústrias estão pessimistas com a retomada, aponta pesquisa

À CNN Rádio, o presidente do sindicato das micro e pequena indústrias citou o custo elevado de produção e a inflação como causas

Sem perspectivas para 2022, expectativas das indústrias se voltam para 2022
Sem perspectivas para 2022, expectativas das indústrias se voltam para 2022 Foto: Reuters/Tom Brenner

Amanda Garciada CNN*

Ouvir notícia

Uma pesquisa conduzida pelo Datafolha a pedido do Sindicato das Micro e Pequenas Indústrias do Estado de São Paulo (Simpi) apontou que o setor está pessimista com a retomada econômica.

Entre os dados que chamam a atenção está o fato de que 85% das micro e pequenas indústrias terem apontado a elevação de custos como o maior problema enfrentado nos últimos 15 dias. Há expectativa de piora da inflação para 61% dos ouvidos.

Em entrevista à CNN Rádio, o presidente do Simpi, Joseph Couri, afirmou que os dados “são preocupantes”, já que há “de forma persistente a elevação de custos, que impactam toda a cadeia produtiva.”

Na outra ponta, ele destacou, há a perda do poder aquisitivo, que reduz o número de consumidores. Em meio a isso, os aumentos dos preços da energia elétrica e dos combustíveis afetam as logísticas de transporte e de produção.

Segundo Couri, com a projeção de economistas de que o ano que vem será de crescimento baixo, sem chegar a 0,5%, “todas as expectativas se voltam para 2023.”

“O problema é dramático. Temos 69% da população sem garantia alimentar, não se tem retomada de emprego de forma forte, mas assistimos o governo festejando aumento de arrecadação, que se deve ao aumento de preço e não de produção”, analisou.

Para o presidente do Simpi, a reversão do cenário é “um grande desafio” que passa pela necessidade de criação de “macropolíticas governamentais” na esfera federal.

*Com produção de Bel Campos

Mais Recentes da CNN