Ministra diz que projeto para zerar PIS/Cofins da gasolina não sairá do governo

Segundo Flávia Arruda, que deixará seu cargo no dia 30 de março, iniciativa deve ser do Congresso Nacional

Ministra da Secretaria de Governo, Flávia Arruda
Ministra da Secretaria de Governo, Flávia Arruda Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Rudá MoreiraEduardo Hahonda CNN

em Brasília

Ouvir notícia

A ministra da Secretaria de Governo, Flávia Arruda, afirmou nesta terça-feira (15), que um eventual projeto de lei para zerar o PIS/Cofins da gasolina seria “uma alternativa”, mas negou a possibilidade do poder Executivo enviar uma proposta para a desoneração.

Arruda, que é a ministra responsável pela articulação política do governo, disse que a iniciativa deveria partir do Congresso Nacional e que o esboço do projeto que desonera estes tributos da gasolina já existe no Parlamento.

“Eu acho que a construção é no Congresso, o texto vai sair de lá. É um caminho que depende muito da articulação do Congresso, mas eu acho que pode ser uma das alternativas”, defendeu Arruda, na saída de um evento de filiação de parlamentares ao Partido Liberal (PL), em Brasília.

O presidente Jair Bolsonaro (PL) sancionou na última sexta-feira (11) o projeto que zerou o PIS/Cofins sobre o diesel, um dia após a aprovação pelo Congresso.

Reforma ministerial

No evento de filiação coletiva do PL, Flávia Arruda afirmou que ela e todos os ministros que pretendem concorrer nas eleições de outubro devem deixar os cargos de uma só vez, no dia 30 de março.

“Provavelmente, todos dia 30, num ato só. Eu acho que não [vai ter cerimônia], mas só o Diário Oficial. Até porque todo mundo diferente de mim, tem que voltar para os seus estados para terminar a organização partidária, e todos que têm mandato vão voltar para o Congresso também”, explicou a ministra, que voltará ao mandato como deputada federal pelo Distrito Federal.

Mais Recentes da CNN