Ministro diz que país não corre risco de racionamento ou falta de energia

Questionado sobre a alta nos preços dos combustíveis neste ano, o ministro disse que esse é um ponto de atenção no governo

Luciano Costa,

da Reuters

Ouvir notícia

 

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, defendeu nesta terça-feira (11) que o Brasil não corre riscos de racionamento ou falta de energia em 2021, mesmo diante de um quadro de falta de chuvas na região das hidrelétricas, principal fonte de geração do país.

“Apesar da crise hidrológica que estamos vivendo, nós temos condições de garantir a segurança energética do país para 2021. Mas eu já adianto, vai exigir medidas excepcionais, e vai exigir também bastante atenção por parte de todos agentes públicos”, afirmou ele, ao participar de audiência da Comissão de Minas e Energia da Câmara dos Deputados.

Os comentários do ministro vêm um dia após o presidente Jair Bolsonaro ter afirmado que o Brasil vivencia o que definiu como “maior crise hidrológica da história”, o que segundo ele vai resultar em “dor de cabeça” para a geração de energia.

Em outro momento, questionado sobre a alta nos preços dos combustíveis neste ano, o ministro disse que esse é um ponto de atenção no governo e que há interações sobre o tema com parlamentares.

“Há algumas iniciativas já em andamento no Congresso Nacional e, no meu ponto de vista, e no ponto de vista do governo, são muito bem-vindas para que a gente possa ter uma estabilidade dos preços dos combustíveis”, afirmou ele, sem especificar.

O ministro de Minas e Energia Bento Albuquerque
Bento Albuquerque, ministro de Minas e Energia em audiência pública na Comissão de Minas e Energia da Câmara dos Deputados (26.jun.2019)
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Mais Recentes da CNN