MP de socorro busca resolver dívidas do setor elétrico deste ano, diz professor

O texto, finalizado pelo governo federal, deve negociar R$ 13 milhões junto aos bancos para cobrir custos do período de crise hídrica

Épocas de chuvas devem reduzir a necessidade da energia termelétrica, avalia Paulo Azevedo
Épocas de chuvas devem reduzir a necessidade da energia termelétrica, avalia Paulo Azevedo Reuters

Amanda Garcia, com produção de Bel Camposda CNN

Ouvir notícia

O governo federal prepara uma Medida Provisória que oferece socorro ao setor elétrico, muito prejudicado neste ano devido à grave crise hídrica.

O texto prevê a negociação junto aos bancos de ao menos R$ 13 milhões para cobrir custos com térmicas, contratos emergenciais e programas de redução da demanda.

Em entrevista à CNN Rádio, o professor de contabilidade e finanças do Ibmec-SP, Paulo Azevedo, avalia que a MP, se aprovada, resolve “o problema da dívida das hidrelétricas pelo menos para este ano.”

“Os contratos emergenciais foram feitos, e o abastecimento de energia está garantido pelas termelétricas, não haverá necessidade de nova contratação, essa MP aprovada, para esse ano a questão está resolvida”, disse.

Segundo ele, estamos chegando nas épocas de chuvas, que “devem reduzir a necessidade da energia termelétrica”.

Ao mesmo tempo, o especialista expressou preocupação como teto de gastos. “Com a ruptura do teto neste ano, abre espaço para outras, que é o que se propõe agora, a medida emergencial gera mais despesas, pode ser preocupante para o mercado.”

Sobre o momento da crise hídrica, Azevedo afirmou que “a gente vai ter redução da tarifa, o problema é em que momento.”

“Não depende só da chuva, é um processo, chove o suficiente para aumentar o fluxo de água onde tem geração de energia elétrica, a gente diminui a necessidade da termelétrica que é mais cara e o custo para a concessionária diminui, para então a tarifa ser reduzida.”

Mais Recentes da CNN