Mudança no ICMS sobre combustíveis pode pesar para estados, diz economista

Economista da Nova Futura, Pedro Paulo Silveira falou à CNN sobre proposta que prevê mudanças na tributação dos combustíveis

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

Economista da Nova Futura, Pedro Paulo Silveira acredita que mudanças no Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre combustíveis pode agravar a situação fiscal de estados brasileiros. A mudança é defendida pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que propõe que o imposto tenha um valor ou um percentual fixo sobre o litro de combustível nas refinarias

“Se efetivamente fizer uma mudança no processo de tributação, irá deslocar valores de alguns estados para outros. Isso pode agravar a situação fiscal, que, em um momento de déficit público, é delicado”, afirmou em entrevista à CNN nesta terça-feira (9).

“Tentar conter a alta de preços dessa maneira, que não é inédita, [quer dizer que] alguém vai ter que pagar essa fatura”, afirmou o economista.

Ainda segundo Silveira, a projeção dos analistas internacionais é que o preço do petróleo oscile entre US$ 55 e US$ 65, com margem razoável para a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEC) estabilizar o preço.

“[A OPEC] pode autorizar o aumento da produção por parte dos países membros e tem interesse em fazer isso. Devemos ver nos próximos meses o movimento da Petrobras no sentido de aumentar a produção, o que permite que o mercado se equilibre um pouco mais. Devemos ver os preços internacionais se acalmarem”, explicou.

Funcionário de posto de gasolina abastece carro em São Paulo (22/08/2013)
Funcionário de posto de gasolina abastece carro em São Paulo
Foto: Paulo Whitaker/Reuters

(Publicado por Natália Flach)

Mais Recentes da CNN