Não podemos repetir erros para superar crise, diz Marcos Lisboa

Segundo o economista e presidente do Insper, falta de clareza sobre prioridades leva a uma profusão de medidas com impacto permanente no gasto público

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

O economista e presidente do Insper, Marcos Lisboa, disse nesta quarta-feira (29) à CNN esperar que “não repitamos os erros das intervenções desastradas que ocorreram lá atrás” para superar a crise provocada pela pandemia do novo coronavírus.

Para ele, existem três emergências para serem superadas neste momento. “Da saúde, onde os médicos devem dizer o que é necessário fazer; preservar emprego e renda dos trabalhadores e o caixa das empresas; e cuidar dos grupos de vulneráveis que estão excluídos dos cadastros formais e que são quase invísiveis para o Brasil, apesar de pagarem impostos”, apontou Lisboa em entrevista para a CNN

Porém, segundo ele, a mesma desorganização vista na saúde, existe também na economia. E, portanto, como não há uma clareza de prioridades, “estamos assistindo essa profusão de medidas e muitas com impactos permanentes no gasto obrigatório do país, que vão gerar problemas para a recuperação depois.”

“E com frequência entram de carona várias medidas que nada tem a ver com a crise imediata. Então dá muito receio sobre como vamos sair desse processo. Eu entendo que há uma necessidade geral de aumentar o gasto público, mas tem muita gente pegando carona e a conta vai sobrar para a sociedade”, disse o economista.

Lisboa disse ainda que a política pública deve ajudar e que o país precisa sair da polarização de “ou é mercado, ou é Estado’, pois “não tem mercado sem estado”.

“Agora, ela [política pública] precisa auxiliar quem realmente está necessitando. Neste momento, deveríamos nos concentrar nos auxílios temporários para enquanto durar a crise, porque senão perdemos o controle do processo”, disse. 

 

Mais Recentes da CNN