Natal perde para Black Friday na capacidade de despertar interesse do consumidor

Estudo mostra que itens como celular, TV e aspirador de pó — grandes sucessos da Black Friday —, registram agora queda de cerca de 8% nas intenções de compra

Raphael Coraccini, colaboração para a CNN Brasil

Ouvir notícia
Presente de Natal
Presente de Natal
Foto: Freestocks / Unsplash

 

A quantidade de consumidores querendo comprar eletrônicos e eletrodomésticos diminuiu em dezembro, depois que a Black Friday foi embora com seus descontos.

O movimento fortalece a tese de que a data está tirando algumas vendas do Natal no que diz respeito à procura por bens duráveis. E mais: reduzindo a lucratividade do varejo, já que as vendas de novembro apelam muito para os descontos.

Um levantamento do Ibevar (Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo e Mercado de Consumo) aponta que, entre outubro e novembro, 24 categorias de produtos duráveis, de um total de 28, registraram aumento da intenção de compra. As pessoas foram estimuladas justamente pelas promoções.

Entre os produtos que tiveram um crescimento mais forte da intenção de compra nesse período estiveram os já consagrados celulares, tablets, jogos eletrônicos e televisores.

Leia também:
Réveillon em NY: Airbnb terá hospedagem em domo de vidro no alto da Times Square
21 dicas do Procon para evitar problemas nas compras de Natal

O Natal, por outro lado, aponta para uma redução da quantidade de pessoas interessadas em compras de bens duráveis. Entre 28 itens avaliados pelo levamento, 21 registraram queda no número de interessados em comprar esses itens durante o mês de dezembro.

Outro dado que aponta para uma migração de compras normalmente feitas no Natal para a Black Friday é que todos os produtos que registraram mais de 10% de aumento da expectativa de compra em novembro apresentaram queda superior a 3% em dezembro.

Nesse embalo, produtos como celulares, televisores e aspiradores de pó, que fizeram sucesso na Black Friday, registram queda de cerca de 8% no número de pessoas interessadas em comprar.  

A Black Friday deste ano também registrou aumento do interesse por itens menos comuns, como adegas climatizadoras, aspiradores de pó, purificadores de água, lava-louças e secadora de roupas. Todos esses itens registraram aumento superior a 10% na quantidade de pessoas com intenção de comprá-los em novembro em relação a outubro.

Onde a chama segue acesa

Apesar de ter parte do seu brilho ofuscado pela Black Friday, o Natal ainda ganha em alguns quesitos. Em dezembro, a pesquisa registra seis itens com nível máximo de desejo de compra: câmeras e filmadoras, caixas de som com bluetooth, consoles de videogame, freezers, frigobares e jogos eletrônicos.

Mais Recentes da CNN