Nível de reservatórios de três subsistemas deve ficar acima de 50% em fevereiro

O subsistema sudeste/centro-oeste, que concentra 70% da carga energética do Brasil, tem previsão de fechar o próximo mês com 54% da capacidade de armazenamento. Em janeiro, esse índice fechou em 40,4%

As bacias do subsistema Sudeste/Centro-oeste encerraram o mês com 40,4%
As bacias do subsistema Sudeste/Centro-oeste encerraram o mês com 40,4% 30/06/2021REUTERS/Jesus Bustamante

Elis Barretoda CNN

no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

O boletim do Operador Nacional do Sistema elétrico (ONS), publicado nesta sexta-feira (28), aponta uma melhora no armazenamento de três, dos quatro subsistemas do Sistema Interligado Nacional (SIN) para o próximo mês. De acordo com as informações do operador, já foi possível ver o aumento no volume hídrico ao longo do mês de janeiro.

No início do mês, as bacias do subsistema Sudeste/Centro-oeste estavam com 25,3% de armazenamento. Hoje, elas encerram o mês com 40,4%. Os subsistemas Norte e Nordeste iniciaram o mês, respectivamente, com 52,6% e 51,6%, e encerram o mês com 86,9% e 72,6%, respectivamente.

O cenário positivo também é esperado para os índices de armazenamento dos reservatórios até o fim de fevereiro. A capacidade, nos subsistemas Norte, Nordeste e Sudeste/Centro-Oeste, deve chegar a 95,7%; 79,3% e 54,0%, respectivamente, em 28 de fevereiro. No caso do Sul, o volume deve ficar em 32,3%. Isso por conta do aumento de chuvas no período.

O operador projeta ainda um aumento na carga energética para o próximo mês, de 2,8% na comparação com o mês de fevereiro do ano passado. O Sul deve liderar o avanço entre as regiões, com estimativa de alta de 7,3%. Na sequência, o subsistema Norte deve registrar aumento de 3,9%. O Sudeste/Centro-Oeste sobe em 2,0% e, por fim, o Nordeste apresenta elevação de 0,2%.

De acordo com o ONS, o aumento da carga em fevereiro reflete fatores como o retorno das atividades econômicas, com o aumento da vacinação. Além disso, a temperatura deve ser mais elevada que a de fevereiro do ano passado, o que fará com que as pessoas usem mais eletrodomésticos como o ar-condicionado.

Mais Recentes da CNN