Nossa agenda visa a consolidação fiscal para o ano que vem, diz Adolfo Sachsida

Questionado sobre a situação fiscal do país, Sachsida ressaltou que o mercado é quem está mostrando que qualquer gasto acima do permitido não será aceitos

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

 

O Ministério da Economia divulgou nesta terça-feira (17) uma revisão da projeção do PIB de 2020, passando de queda de 4,7% para queda de 4,5%. Em entrevista à CNN, o secretário de Política Econômica do governo, Adolfo Sachsida, disse que os números do ministérios são conservadores.

“Estamos convictos e conservadores, apostamos em retomada forte para o quarto trimestre de 2020 e para o ano que vem como um todo. Temos boa chance de crescer acima de 3% em 2021. O relatório Focus prevê crescimento ainda maior do que propusemos.”

Leia também

Governo anuncia que programas sociais devem fechar ano com R$ 320 bi em repasses

XP: Temporada de balanços do 3º tri sugere que pior da pandemia ficou para trás

Governo quer acelerar renegociação de dívida dos estados

Questionado sobre a situação fiscal do país, Sachsida ressaltou que o mercado está mostrando que qualquer gasto acima do permitido não será aceito.

“Existe um sinal do mercado para a sociedade de que se o governo gastar mais e não levar em conta consolidação fiscal os juros aumentam, a inflação aumenta, o PIB cai e o desemprego sobe. Não defendemos a consolidação fiscal por ideologia mas por questão de apreço a população. Nossa agenda visa a consolidação fiscal no ano que vem.”

 

 

(Publicado por Sinara Peixoto)

 

 

Mais Recentes da CNN