Novas modalidades do Pix devem consolidar o meio de pagamento, diz especialista

Patrícia Thomazelli, que é especialista em direito bancário, diz que as funções de Pix Troco e Pix Saque serão benéficas para clientes e comerciantes

Produção de Juliana Alvesda CNN

Em São Paulo

Ouvir notícia

Em entrevista à CNN, a especialista em direito bancário Patrícia Thomazelli afirmou que o Pix deve se consolidar como meio de pagamento a partir das novas funcionalidades anunciadas pelo Banco Central (BC) nesta semana.

A partir de 29 de novembro, entram em operação o Pix Saque e o Pix Troco, funcionalidades que, segundo Patrícia, devem trazer mais flexibilidade para consumidores e comerciantes.

“De maneira geral, essa nova modalidade do Pix vem para consolidar ainda mais a posição desse meio de pagamento, que era essencialmente digital, onde não se tinha a moeda em espécie”, disse.

“Isso traz mais flexibilidade para o consumidor e, para o estabelecimento comercial, há novas oportunidades tanto para se aproximar dos clientes como de ter um serviço adicional que presta a eles”, completou.

Patrícia acredita que as novas funções do Pix não devem trazer aumento relevante nos crimes relacionados ao meio de pagamento.

No mês passado, o BC anunciou bloqueio de horários para transferências, limitação de valores e até a escolha dos destinatários para melhorar a segurança do sistema de pagamentos digital.

“O Banco Central estabeleceu limite de R$ 500 para o saque no período diurno, entre 6h e 20h, e de R$ 100 no período da madrugada. É preciso que se monitore o comportamento da população em geral, mas os limites são menos atrativos quando comparamos com outros”, afirmou.

Tópicos

Mais Recentes da CNN